domingo, maio 26, 2024
spot_img
HomeSul do ES15 dias após ser condenado por homicídio, homem é suspeito de matar...

15 dias após ser condenado por homicídio, homem é suspeito de matar a ex no Espírito Santo

Maycon da Silva Macedo recebeu a benevolência de recorrer em liberdade de um homicídio cometido por ele em 2013; Duas semanas após condenação, ele é suspeito de matar a ex na frente das filhas dela no ES

Suspeito de atirar e matar a ex-companheira na frente das filhas dela, na tarde de sábado (23), na localidade de Alto São José, em Atílio Vivácqua, Maycon da Silva Macedo, de 30 anos, havia sido condenado a 8 anos de prisão pelo Tribunal do Júri, no último dia 7 de dezembro, pelo assassinato a facadas de Ubirajara Costa Bertines, crime ocorrido em 3 e novembro de 2013. A pena, fixada em regime semiaberto pelo juiz Bernardo Fajardo Lima, também deu a benevolência do assassino condenado em recorrer em liberdade. Segundo o magistrado, “os fatos são antigos e (o assassino) compareceu sempre que chamado”.

Publicidade

Na tarde de sábado (23), Thiele Beneta Grechi, de 26 anos, foi assassinada com três tiros nas costas, e na frente das três filhas menores de idade, em Atílio Vivácqua. O suspeito é o ex-marido da vítima, Maycon da Silva Macedo, que fugiu.

Publicidade

Crime em 2013

“(…) no dia 03.11.2013, por volta de 20:50h, em uma propriedade rural situada às margens da Rodovia Ricardo Barbieri, Bairro Ruy Pinto Bandeira, Cachoeiro de Itapemirim/ES, Maycon da Silva Macedo, externando evidente intenção homicida, matou a vítima Ubirajada Costa Bertines, por motivo fútil, com emprego de meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa por parte da vítima. (…)”, cita a pronúncia do condenado a partir da denúncia do Ministério Público (MPES).

No dia 7 de dezembro de 2023, o Tribunal do Júri condenou Maycon da Silva Macedo pelo crime hediondo de homicídio qualificado pelo assassinato de Ubirajada Costa Bertines. O juiz Bernardo Fajardo Lima deu ao condenado o direito de recorrer em liberdade da pena fixada por ele de 8 anos de prisão em regime semiaberto. O magistrado alegou que os fatos eram “antigos” e o assassino compareceu sempre que foi chamado.

Feminicídio 15 dias após condenação 

15 dias após ser condenado pelo crime de homicídio qualificado e ganhar a benevolência de recorrer em liberdade, Maycon da Silva Macedo, é suspeito de matar a ex-mulher, na frente das filhas dela, menores de idade, na localidade de Alto São José, em Atílio Vivácqua.

Segundo a Polícia Militar, uma equipe foi acionada para ir à comunidade de Alto São José, a fim de averiguar uma ocorrência de feminicídio.  No local, os policiais foram recebidos pelo pai da vítima, que contou que a filha havia sido morta a tiros, na frente das filhas, pelo ex-companheiro dela, Maycon da Silva Macedo, de 30 anos. O pai de Thiele contou ainda, que as próprias netas foram quem o chamou em casa contando do que havia acontecido. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu/192) esteve no local e constatou o óbito da vítima.

Procurada pela reportagem, a Polícia Civil informou que o caso seguirá sob investigação da Delegacia de Polícia de Atílio Vivácqua e, até o momento, o suspeito do crime não foi detido.O corpo da vítima, de 26 anos, foi encaminhado para o Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim, onde passará pelo processo de necropsia. Posteriormente, será liberado para os familiares.

Ao ser perguntada sobre o caso ser tratado como feminicídio, a Polícia Civil informou que a confirmação da presença de uma qualificadora, como o feminicídio, “só poderá ser estabelecida após a autoridade policial responsável pela investigação formar sua convicção, alicerçada na análise minuciosa dos elementos coletados durante o inquérito policial”.

“Informações podem ser compartilhadas de forma sigilosa por meio do Disque-denúncia (181), que é uma linha de contato gratuita, disponível em todos os municípios do Estado. As informações passadas pela comunidade podem ser cruciais para o avanço das investigações”, informou a PC, por nota.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE