sexta-feira, julho 19, 2024
spot_img
HomeSem categoria500 anos da Reforma Luterana

500 anos da Reforma Luterana

Os 500 anos da Reforma Luterana foram comemorados pelos luteranos do Diesnorte (Distrito Espírito Santo Norte), no último sábado, dia 21, no Ginásio de Esportes Anastácio Cassaro, de São Gabriel da Palha.
Sendo o Diesnorte composto por paróquias de Barra de São Francisco, Vila Pavão, Boa Esperança, Vila Valério, São Gabriel da Palha, Nova Venécia, São Mateus, Jaguaré, Teixeira de Freitas e Eunápolis, na Bahia, o evento reuniu cerca de duas mil pessoas.
No culto, três pregadores, reverendos Cristian Dolvitsch (Sola Scriptura), de Vila Valério, Emerson Linause (Sola Fide), de Vila Pavão e Alçamar Prando (Sola Gratia), de São Gabriel. Além disso, a liturgia do dia foi conduzida por diversos pastores do Distrito, incluindo, Jarbas Hoffimann, que é pastor da Congregação Castelo Forte, no Bairro Bela Vista, em Nova Venécia.
“O culto foi memorável e marcará para sempre a história do luteranismo de nossa região. Muitos já pedem que o evento se repita anualmente. Pois foi com muita alegria que todos puderam testemunhar o que Lutero sempre quis: “Somente pela graça de Deus, por meio da fé, firmados na escritura” é que se tem a salvação em Cristo Jesus”, diz o pastor Jarbas.
Durante programação, aconteceu a formação de um coral, composto pelos corais das paróquias, com cerca de 300 vozes, regido por dois jovens regentes, o Adriano Igor Patrocino, de São Gabriel da Palha e Eliézer Joann, de Vila Pavão. Entre os hinos cantados, “Castelo Forte”, escrito pelo próprio Martinho Lutero. Também, o dia foi contemplado com a participação da Banda Novo Ser, e do grupo de dança Litúrgica “El Shaday”, ambos de São Gabriel.

Publicidade

» Reverendo Emerson Linause
» Reverendo Cristian Dolvitsch
» Reverendo Alçamar Prando
» Reverendo Jarbas Hoffimann
“O evento para nós foi algo inesquecível, pois participamos da comemoração de 500 anos da Reforma Protestante. Um movimento que modificou a igreja, países, língua, pensamentos e principalmente a fé. Antes as pessoas criam num Deus que só condenava, depois da Reforma, as pessoas conheceram o Deus verdadeiro, isso porque a sua palavra foi divulgada, anunciada, pregada, revelada. A Bíblia, que é a palavra de Deus, era um livro proibido. Deus usou o frei Martinho Lutero para iniciar a Reforma e revelar quem Deus é verdadeiramente. Um Deus de misericórdia, amor, salvação em Jesus. E a Reforma não pode parar, porque Deus quer curar nossas almas e nos salvar”
Célia Cristina Bonomo Hoffmann e Jonas
Hoffmann, participantes do evento
» Dança Litúrgica El Shaday marcou momento da programação

________________________________________________________________________

Publicidade

Próximos eventos

Na próxima sexta-feira, dia 27, em Nova Venécia, diversas vozes que entoaram o coral, no evento de São Gabriel da Palha, estarão na Praça Adélio Lubiana, para cantar e celebrar a Reforma. Ainda, bandas da Igreja Luterana local.
Já no domingo, dia 29, em culto na Igreja Luterana do Bairro Bela Vista, as 9h30, os luteranos comemorarão mais uma vez os 500 anos da Reforma.
Além de Jarbas, Cleydes Kloss compõe o quadro de pastores da cidade, sendo responsável pela paróquia Concórdia, no Bairro Margareth.

» Diversas vozes do Coral, que se apresentou no evento, também marcará presença em Nova Venécia

________________________________________________________________________

Martinho Lutero

Em 31 de outubro de 1517, o sacerdote alemão Martinho Lutero criticou o comércio de “indulgências” para o perdão dos pecados por parte do papa, e estabeleceu suas “95 teses” na porta de uma capela de Wittenberg (sul de Berlim).
Para o 500º aniversário da Reforma, a comissão para o diálogo entre católicos e protestantes publicou um documento que insiste no fato de que Lutero “não tinha intenção de dividir, mas de reformar a Igreja”.
Martinho Lutero nasceu no dia 10 de novembro de 1483, no que hoje é a Alemanha. Foi batizado no dia de São Martinho, santo católico que nasceu em 316 d.C. E por causa desse santo, recebeu o nome de Martinho.

Martinho Lutero e as “95 teses” na porta de uma capela de Wittenberg (sul de Berlim)
ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE