quarta-feira, fevereiro 28, 2024
spot_img
HomeCidadesA "revolta" dos delegados de polícia do ES que pedem reestruturação da...

A “revolta” dos delegados de polícia do ES que pedem reestruturação da carreira

A posição dos delegados de polícia capixabas é preocupante, segundo sindicato.

Delegados de polícia do Espírito Santo, estão cobrando do governo a adoção de medidas para atender aos pleitos da categoria relacionados à reestruturação da carreira e à tabela de subsídios. A presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Espírito Santo (Sindepes), Ana Cecília Mangaravite, informou que, após nove meses da reeleição do atual governo, a situação ainda não apresentou melhorias significativas.

Publicidade

Segundo Ana Cecília, em outubro de 2022, uma reunião com o governador Renato Casagrande foi realizada para tratar sobre a valorização do cargo de delegado de polícia no estado. Na ocasião, o governador teria se comprometido a abordar essa questão até o primeiro semestre de 2023. No entanto, até o momento, segundo ela, “nenhum avanço foi alcançado”.

Publicidade

A posição dos delegados de polícia capixabas é preocupante. Ana Cecília enfatiza que eles se encontram entre os cinco piores estados em termos de remuneração e condições de trabalho. Embora a posição varie conforme outros estados realizem reajustes salariais, é fato que o Espírito Santo continua na lanterna.

De acordo com dados obtidos do último concurso realizado para o cargo em 2014, a evasão da carreira já está próxima dos 50%. Para solucionar essa problemática, os delegados solicitam a reestruturação da carreira com base em premissas já previstas na legislação estadual, que são aplicadas a outras carreiras.

Ana Cecília explica que essa demanda foi apresentada desde junho, mas ainda não houve uma resposta oficial por parte do governo. A delegada destaca que o problema da valorização do cargo de delegado de polícia vem se arrastando há algum tempo, com promessas de solução que segundo ela nunca foram cumpridas.

Além disso, Ana Cecília menciona que a lei que reestruturou a carreira é de 2007 e, desde então, alguns pontos precisam ser aprimorados. Ela ressalta que a falta de um salário inicial atrativo, em torno de R$ 14 mil, em comparação com a média nacional de R$ 19 mil, contribui para a evasão e o envelhecimento da carreira.

Diante da estagnação das tratativas e da ausência de uma resposta oficial das Secretarias envolvidas no processo, o Sindepes convocou uma reunião na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória, nesta sexta-feira (6), às 10h30. A entidade destaca a necessidade de avanços concretos na reestruturação da tabela de subsídios da carreira de delegados de polícia civil, visando corrigir as distorções existentes e garantir melhores condições aos profissionais.

A Rede Notícia demandou posicionamento da Polícia Civil e da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Espírito Santo (Sesp). Este textos será atualizado quando houver retorno.

*Com informações de Século Diário

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE