domingo, fevereiro 25, 2024
spot_img
HomeCrimeCaso de corpo de mulher carbonizado está nas mãos de delegada "linha-dura"...

Caso de corpo de mulher carbonizado está nas mãos de delegada “linha-dura” em Jaguaré

Atuante e corajosa, a delegada Gabriella é considerada "linha-dura" e combativa em casos de violência contra a mulher.

Está nas mãos da titular da Delegacia de Polícia de Jaguaré, delegada Gabriella Zaché dos Santos, o caso do corpo carbonizado de uma mulher encontrado dentro de um carro incendiado, na rodovia ES 356, próximo a entrada do Córrego das Araras, na Zona Rural do município neste domingo (27). Atuante e corajosa, a delegada Gabriella é considerada “linha-dura” e combativa em casos de violência contra a mulher.

Publicidade

A principal suspeita, é que a ossada seja da auxiliar administrativo Angelica Aparecida Oliveira, de 49 anos. Ela era lotada no Hospital Estadual Roberto Arnizaut Silvares, em São Mateus, onde pegaria o plantão às 5h da manhã. Investigadores acreditam em homicídio.

Publicidade
A principal suspeita, é que a ossada seja da auxiliar administrativo Angelica Aparecida Oliveira, de 49 anos. Crédito: Reprodução / Montagem Rede Notícia

Segundo a versão do marido dela, Aleone Souza, Angelica saiu de casa em Jaguaré às 4h, e daria carona a uma pessoa que ele não soube dizer quem era. No entanto, a mulher não chegou ao trabalho, e ao saber que um veículo havia sido achado incendiado, Aleone foi ao local, e reconheceu o carro como sendo o de Angelica.

Imagens mostram veículo destruído pelo fogo. Crédito: Polícia Militar / Montagem Rede Notícia

Ainda segundo Aleone, ele e Angelica moravam juntos há 18 anos, e têm um filho juntos, de 11 anos. Ela tinha outros três filhos de outro relacionamento. O marido diz que desconhece qualquer inimizade, contou que a mulher era “tranquila” e que estava cursando enfermagem.

Neste domingo (27), a perícia já havia constatou de que se trata de um corpo do sexo feminino. Investigadores da Polícia Civil, estiveram no local, e suspeitam de homicídio. Apenas o resultado de exames no DML vão confirmar se o corpo encontrado carbonizado no banco do passageiro do veículo, é ou não, o de Angelica.

Vídeo mostra carro em chamas. Crtédito: Reprodução

O Hospital Roberto Silvares divulgou nota em que lamenta o “falecimento da colaboradora e amiga Angélica. Neste momento de tristeza, prestamos nossa solidariedade e nossas condolências aos familiares e aos amigos”, diz a nota.

Segundo o Portal da Transparência do Governo do Espírito Santo, Angélica desempenha a função de auxiliar administrativo no Hospital Roberto Silvares, em São Mateus, em regime de designação temporária, desde dezembro de 2021.

Por nota, a Polícia Civil informou que “o corpo da vítima, possível sexo feminino, foi encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, para ser identificado e para ser feito o exame cadavérico, que irá identificar a causa da morte. O prazo para sair laudo cadavérico pela legislação são 10 dias, podendo ser prorrogado por igual período. Em casos em que são solicitados exames laboratoriais pode demorar mais, principalmente quando necessita de DNA (30 dias) e histopatológico (entre 60-90 dias).  O caso seguirá sob investigação da Delegacia de Polícia de Jaguaré”.

A Rede Notícia demandou informações da Polícia Militar, mas ainda não tivemos retorno.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE