sábado, abril 20, 2024
spot_img
HomeViolênciaConduta de cabo da PM do ES que agrediu casal não representa...

Conduta de cabo da PM do ES que agrediu casal não representa a corporação, diz comandante

Coronel Caus disse que ação de cabo não representa em nada o que lhe foi ensinado na formação policial; corporação mandou afastar os dois PMs que aparecem nos vídeos

O comandante-geral da Polícia Militar do Espírito Santo, coronel Douglas Caus, chamou a imprensa na tarde desta quinta-feira Santa (28), para falar sobre os vídeos em que um PM aparece agredindo um casal negro em uma praça no Centro de Domingos Martins, cidade da Região Serrana. Segundo o comandante, a conduta do PM não representa o que ele e todos os policiais aprendem na academia da corporação. Os dois cabos da PM que aparecem no vídeo foram afastados das ruas por determinação do comando e foram colocados em função administrativa.

Publicidade

Imagem mostra PM agredindo mulher com tapa na cara em Domingos Martins (Reprodução)

Segundo o coronel Caus, a PM recebeu um chamado por volta de 16h de quarta-feira (27), para uma denúncia de que um casal estaria apedrejando um banheiro público. E daí em diante, as imagens falam por si. Ainda segundo o coronel, ele tomou conhecimento do fato no mesmo dia, por volta de 21h, quando ligou para o oficial responsável pela Corregedoria da PM e ordenou que os cabos da corporação que aparecem no vídeo fossem afastados das ruas e colocados em funções administrativas, e que fosse aberto um Inquérito Policial Militar (IPM) para investigar os PMs. “O inquérito tem 40 dias de prazo regimental para ser concluído, podendo ser prorogado por mais 20 dias. Ao final será entendido se houve cometimento de crime militar, e nesse caso, o procedimento é encaminhado concluso para o Ministério Público Militar, ou se hoouve cometimetno de falta disciplinar, nessa segunda opção será aberto um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD)”, informou o coronel Caus à imprensa.

Publicidade

Questionado se a conduta vista nos vídeos seria a que é ensinada na formação dos PMs, o coronel foi enfático: “não foi, não é e nunca será o procimento da Polícia Militar do Espírito Santo. Uma PM extremamente ordeira, disciplinada, que preza pelos Direitos Humanos, e que includive nosso curso de formação tem uma grade extensa dedicada a Direito Humanos”, disse.

Segundo o comandante-geral da PM capixaba, após finalizado o que é visto nos vídeos, o homem foi algemado, e encaminhado à Delegacia de Polícia (DP), onde foi lavrado um Termo Circunstanciado, e ele foi liberado.

Os vídeos

No vídeo divulgado, inicialmente, pelo portal A Gazeta, é possível ver o homem e a mulher sentados em uma escadaria no Centro de Domingos Martins e o policial militar em pé na frente dela gritando “Fala de novo”. A mulher então questiona “Vai me bater por quê?”. O policial então manda ela calar a boca, dá um tapa no rosto dela e diz: “Aqui ninguém se cria, não”.

O rapaz se levanta e o policial militar vai atrás dele, dá um soco em sua barriga e o empurra na escadaria. Após cair e sentar, o homem levanta novamente e o policial manda ele sentar. Após ser novamente empurrado pelo policial na escadaria, o homem diz que não está fazendo nada e questiona a abordagem. “Você me bateu já e eu não fiz nada”, diz.

O homem afirma que vai denunciar o policial no Ministério Público do Espírito Santo (MPES). A mulher complementa, dizendo que o policial é corrupto, mentiroso, e afirmando que a abordagem está filmada. Depois disso, o policial empurra o rapaz novamente, dá socos, chute e até um golpe de “mata-leão”. Outro agente chega e os policiais algemam e detêm o homem.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE