quinta-feira, maio 23, 2024
spot_img
HomeDestaqueCulturaDo jovem ao idoso: devoção ao Senhor do Bonfim completa 91 anos

Do jovem ao idoso: devoção ao Senhor do Bonfim completa 91 anos

Reconhecida como um dos templos mais antigos de Nova Venécia, a Igreja Nosso Senhor do Bonfim, completa 91 anos, trazendo junto, devoção e fé de um povo que, não se cansa de clamar e rezar, unidos por um só motivo: Jesus Cristo.

Publicidade

A Igreja Nosso Senhor do Bonfim se tornou um grande centro de devoção popular e destino dos fiéis do bairro que têm o mesmo nome da igreja.

Publicidade

A construção do Templo começou em 1932, através da fé de um baiano que se mudou para cá e ergueu o primeiro Templo de estuque, onde funciona atualmente, a EMEF Professora “Maria Rodrigues Leite”.

Hoje, após mais de nove décadas, oa igreja mudou de lugar e está fincada no coração do bairro, e traz na coordenação geral, Wenderson Vilela. Na coordenação de Liturgia, uma das moradoras mais antigas do bairro, dona Ignez Boldrini.

Hoje, a Igreja conta com cerca de 325 dizimistas. A comunidade tem também grupos culturais, sendo eles, Folia de Reis, Grupo Afro e Grupo Sertanejo que diversificam em missas típicas.

No mês de maio a comunidade organiza a Coroação de Maria. Em setembro é comemorada a Festa do Padroeiro, que se inicia com a tradicional Lavagem da Escadaria da Igreja.

» “Tem 35 anos que moro no Bonfim. Sou católica com muito orgulho e desde que aqui estou, frequento a igreja do Bonfim, sou devota de Nosso Senhor do Bonfim, vou às missas, aos cultos, sou do Apostolado o Terço das Mães que Oram pelos Filhos, participo do grupo de Quadrilha Junina, e participo de tudo que posso na igreja”
Domingas Vila Nova de Lima, 86 anos
» “Moro no Bonfim há 60 anos e frequento a igreja todo este tempo. Sou devota de Nosso Senhor do Bonfim, frequento as atividades da igreja. Sou do Apostolado da Oração, do Grupo de Dança Constância de Angola, do Folia de Reis, e da Quadrilha Junina daqui do Bonfim. Tenho orgulho e amo morar aqui, só saio daqui quando morrer”
Joseny Moraes Nascimento, 86 anos

A capela de Nosso Senhor do Bonfim

Tudo começou assim: o senhor Guilherme Pereira Lima, que era natural de Salvador, Estado da Bahia, chegou por aqui, quando a localidade ainda era denominada de “Barracão”. Um dos ofícios deste baiano era de exterminar formigas. Sendo o homem muito solicitado, seu Guilherme, em uma dessas atividades, se perdeu na mata e não conseguiu encontrar o caminho de volta para casa e então, foi aí que ele resolveu invocar pela intercessão de seu Santo de devoção, “Nosso Senhor do Bonfim”, e prometeu que, caso encontrasse o caminho de volta, iria trazer uma imagem da Bahia e construir uma capela aqui. E assim se cumpriu. Em 1932, no alto de um morro, dentro de suas terras, construiu uma pequena capela de estuque, onde os moradores, que antes rezavam o terço em suas casas, passaram a reunir-se ali para suas orações. Esse local é onde hoje funciona a EMEF Prof. “Maria Rodrigues Leite”. De acordo com histórico da igreja, quem organizava a programação religiosa era dona Dora, esposa do fundador da então capelinha, o seu Guilherme.

Assim, Guilherme tinha o compromisso de uma vez por ano trazer um padre de São Mateus, para rezar a Santa Missa. O trajeto era todo feito a cavalo, único meio de transporte daquela época.

O trajeto até a capela, para que fiéis chegassem até o pequeno templo, não era fácil. Muitos moradores residiam distantes do local e era preciso atravessar roçados e matas com animais ferozes. Para iluminar o caminho, usavam tochas feitas com galhos de árvores. Outras pessoas, não moradoras da região, como os tropeiros, vendedores de alimentos e objetos, também frequentavam a capela quando por aqui estavam de passagem.

» Antiga construção da Igreja Nosso Senhor do Bonfim, 1961 (Acervo Rogério Piva)

Em 1932, com o aumento de frequentadores da pequena capela, o senhor Guilherme sentiu a necessidade de aumentá-la. Então, para receber mais ou menos 100 pessoas, construiu outra capela e, dessa vez, feita de tijolo. A partir de então, outras atividades, além da reza do terço eram realizadas como celebrações, quermesses, catecismo, missões etc.

Em 1938, com a chegada do Padre Lauro Zacarias de Oliveira nessa região, a capela de Nosso Senhor do Bonfim passou a ter uma maior assistência religiosa. Foi então que, novamente, com o aumento de frequentadores, sofreu outra ampliação, dessa vez, com estilo das igrejas da Bahia, com torre para sino, coro para cantores, altar para imagens, bancos etc. As celebrações e missas passaram a ser mais frequentes. Nessa época, aproximadamente 50 famílias moravam nas imediações da capela. As condições locais eram de muita pobreza. Para atender as necessidades diárias, as pessoas utilizavam água retirada do Rio Cricaré.

Com o passar dos anos, tendo em vista a construção da Igreja de São Marcos, e a necessidade da construção de uma Escola na região, sentiu-se a necessidade de transferir a capela de Nosso Senhor do Bonfim para outro local. Sendo assim, no ano de 1967, foi acertada essa transferência para um local mais centralizado, e o local adequado pertencia ao senhor Ancelmo Mazarim, que era dono de grande parte daquela localidade. Dentro de suas terras, havia uma serraria em que ele beneficiava madeira e também trabalhava com beneficiamento de café, mas ele cedeu parte do barracão para que os fiéis pudessem se reunir provisoriamente. Foi então que, o Senhor Ancelmo Mazarim resolveu doar parte de seu terreno e certa quantidade de madeira, para a construção da Igreja da Pedreira, que foi erguida onde hoje funciona o Centro Comunitário. A primeira missa foi celebrada no dia 12 de fevereiro de 1967, pelo Padre Tomiro Taddei.

» São 91 anos de devoção da Igreja Nosso Senhor do Bonfim

Em 1968, Padre Carlos fez a planta de ampliação da Igreja, dessa vez incluindo a construção de salas para a catequese, e foi contratada a primeira professora, Adilia Salvador.

Com uma estrutura maior e com o apoio dos padres Combonianos, foram implantadas as Pastorais que organizavam encontros de casais, jovens, adolescentes e catequese.

Em 1981 foram adquiridos dois lotes localizados em frente à antiga estrutura da Igreja (Centro Comunitário atual) e iniciado as obras, para construção da atual estrutura da igreja.

Assim, estando a nova Igreja pronta, toda a antiga estrutura passou a ser para uso exclusivo de atividades tais como: catequese, crisma, encontros, palestras, reuniões e outros. Essa estrutura recebeu o nome de “Centro Comunitário Padre Carlos Furbetta”, em homenagem à sua grande dedicação ao crescimento da comunidade.


Conselho Pastoral Comunitário

  • Isabely Nicolau – Secretária Pastoral
  • Miguel Marrane – Terço dos Homens
  • Wenderson Viella – Coordenador Geral
  • Ignês Bonomo – Pastoral da Liturgia
  • Anísio Alves – Vice Coordenador Geral
  • Antônio Marques – Pastoral do Cântico
  • Helena Sulina – Pastoral dos Coroinhas
  • Letícia Cardoso – Ministros da Eucaristias
  • Ana Maria dos Santos – Apostolado da Oração.
  • Marlon do Bonfim – Pastoral Social
  • Ana Maria dos Santos – Grupo de Reflexão
  • Luzia Capucho – Terço dos Doentes
  • Marlon do Bonfim – Ministros de Exéquias
  • Euciles Boldrine – Equipe de Som
  • Osório – Tesoureiro
  • Eliana Rolim – Pastoral da Acolhida
  • Silvanira Caliman – Catequese Infantil e Crisma
  • Arlindo – Pastoral do Dízimo
  • Paulo Pandolfi – Pastoral do Batismo
» Grupo de membros da comunidade Nosso Senhor do Bonfim
» Dona Ignês Bonomo é a responsável pela Pastoral da Liturgia da Igreja Nosso Senhor do Bonfim
ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE