sábado, fevereiro 24, 2024
spot_img
HomeDestaqueEdital Doce tem 61 projetos aprovados no ES

Edital Doce tem 61 projetos aprovados no ES

O Edital Doce, promovido pela Fundação Renova, selecionou 61 projetos de Linhares, Colatina, Marilândia e Baixo Guanducom o objetivo de fomentar e apoiar iniciativas nas áreas de cultura, turismo, esporte e lazer, nas regiões atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão (MG) no Espírito Santo.

Publicidade

Em sua segunda edição, o Edital Doce apresentou, além da Modalidade 1, para projetos Sociais de Turismo, Cultura e Esporte, a Modalidade 2, destinada a ações para Reparação do Lazer, e a Modalidade 3, voltada para iniciativas de Reparação das Referências Culturais.

Publicidade

A lista dos projetos aprovados está disponível no site:  https://www.fundacaorenova.org/edital-doce-2022/. Ao todo, a 2ª Edição do Edital Doce vai destinar mais de R$ 23 milhões para 263 projetos selecionados em Minas Gerais e no Espírito Santo. A primeira e segunda modalidades contemplam os municípios de Linhares, Colatina, Marilândia e Baixo Guandu. Já a terceira modalidade é voltada às cidades mineiras de Mariana, Barra Longa, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado.

Os projetos aprovados foram propostos por pessoas físicas, microempreendedores, coletivos e grupos informais, organizações sem fins lucrativos e empresas atuantes nas áreas do Turismo, Cultura, Esportes, Lazer e Referências Culturais, com valores entre R$ 25 mil e R$ 200 mil. Os prazos para a execução dos projetos são de 12 meses para a Modalidade 1 e, para as Modalidades 2 e 3, até 24 meses.

De acordo com Érika Carvalho, da Gerência de Educação e Cultura da Fundação Renova, os proponentes dos projetos aprovados receberão todas as orientações sobre os próximos passos para a formalização da parceria com a Fundação.

“Os projetos aprovados serão convocados em duas chamadas de acordo com a classificação das propostas e com os cronogramas de execução do projeto. Além disso, caso haja desclassificação ou desistência de projetos aprovados, serão convocados suplentes de acordo com ordem de classificação”, explica Érika Carvalho.

Sobre a Fundação Renova

A Fundação Renova é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, constituída com o exclusivo propósito de gerir e executar os programas e ações de reparação e compensação dos danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão.

A Fundação foi instituída por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas Vale e BHP, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE