terça-feira, junho 18, 2024
spot_img
HomeDestaqueCidadeEmpresas e points noturnos que marcaram época

Empresas e points noturnos que marcaram época

Tem lugar que encerrou as atividades, mas, a saudade e a nostalgia ainda permanece para muitos venecianos.

Publicidade

Poder curtir uma noite com amigos no Djalma Trayller Lanches já foi programa de muita gente em Nova Venécia. Passar bons momentos no Bar do Luiz, degustando aquele saboroso caldo era outra opção familiar na cidade. Na reportagem de hoje, vamos relembrar estabelecimentos que baixaram a porta e foram sucesso na região.

Publicidade

Listamos locais inesquecíveis e a matéria promete emocionar muitos leitores.


Empreendimentos que deixaram saudades

De vez em quando bate uma nostalgia daquilo que funcionava em Nova Venécia, mas fechou. Apostando nesse saudosismo, A Notícia preparou uma reportagem para quem curtiu estabelecimentos que encerraram atividades, e deixaram um gostinho de quero mais

Quem se lembra do Ar Livre Lanches? Aquele que funcionava na “cabeça da ponte” Cristino Dias Lopes? E das Pernambucanas? Esses locais e outros estão na reportagem, já que ficaram marcados na memória dos venecianos. Abaixo, listamos estabelecimentos das décadas de 1970, 1980 e entre outros, que mesmo fechados, se tornaram inesquecíveis por aqui.

No próximo dia 27, publicaremos nova matéria com outros estabelecimentos que fecharam suas portas em Nova Venécia. Desta vez, o Tigrão, Serra’s Bar, Discoteca 33, Chalé Center, Casa Cazelli, Foto Avenida, Casa Marrocos, Padaria Pão Gostoso, Casarão, Nestlé, Parmalat, Spam entre tantos outros. E você pode nos ajudar enviando fotos destes e de outros estabelecimentos que fizeram história. Quem puder nos ajudar, basta entrar em contato através dos telefones: 99900-9231 ou 99821-0194.


Fim de Tarde

O Fim de Tarde deixou saudades para quem era jovem na década de 1990. Instalada no Centro Comercial, na Avenida Vitória, o point funcionava ao lado da escada do prédio. Era ali que a rapaziada e as meninas se reuniam, para aquela resenha. Na direção do negócio, o primeiro proprietário, foi o Sérgio Zanella, que abriu o negócio em 1986, com o nome de Sorveteria Fioretto. Quatro anos depois, o nome do local mudou para Fim de Tarde, e foi no ano seguinte que, Zanella passou o empreendimento para os irmãos, Sidney e Gilsoney Zanelato. “Os finais de semanas eram os que mais davam gente. Aos domingos abríamos às 15h, mas às vezes, já chegava o pessoal lá em casa antes, pedindo para levantar as portas logo”, se diverte ao lembrar, Sidney. O Fim de Tarde funcionou até 1995 e vendia além de sorvete, lanches e cerveja gelada.

» Endereço da juventude, os irmãos Gilsoney e Sidney Zanelato comandavam o Fim de Tarde

Ar Livre Lanches e Ar Livre Dance

Famoso por concentrar um público de idade variada, o Ar Livre Lanches funcionava na cabeça da ponte Cristiano Dias Lopes, onde existe a construção de um prédio não inaugurado. No coração de Nova Venécia, o Ar Livre reunia diversão e esporte. O bar era o responsável por deixar a cidade badalada durante ao dia e à noite, tendo música ao vivo, bebidas, lanches e sempre muito bem frequentado. Em 1995 a Ar Livre Dance foi inaugurada, era a sensação do momento. Uma boate moderna que, trouxe para a cidade, um ar de capital, em uma época que as danceterias funcionavam apenas nos grandes centros. Já na parte esportiva, as mesas da noite eram retiradas e uma rede de vôlei montada no local. Pronto, competições e dias esportivos também marcaram o ambiente, que tinha como proprietário o Ademir Petarli, mais conhecido como Fio. O grupo Ar Livre funcionou de 1987 a 1996. “Era muito interessante, inclusive a boate, fomos para São Paulo e trouxemos o melhor para cá, tudo moderno, copiamos de lá. Precisei fechar pelo alto valor do aluguel, uma pena”, diz Fio.

» Local também servia como encontro de amigos na década de 1990

Bar do Luiz

O sabor do caldo do Bar do Luiz está guardado ainda na recordação de quem passou por lá. Sendo o carro-chefe da Casa, o aroma que pairava a cada panela de barro posta na mesa, ainda está fincado na mente de quem frequentou a Casa. Localizado na Praça Adélio Lubiana, o lugar era frequentado por famílias e pessoas que estavam de passagem na cidade. A cozinha ficava por conta da Maria Arlete Milleri, esposa do Luiz Sangiorgio, sendo o casal os proprietários do bar, que ainda servia porções, pizzas e petiscos variados. Com 21 anos de funcionamento, o Bar do Luiz encerrou atividades há três anos. Antes do Bar do Luiz, o local dava espaço a Lanchonete e Restaurante Granitos.

» Arlete e Luiz Sangiorgio eram os proprietários do bar
» Aconchegante e sempre movimentado, o Bar do Luiz funcionava na atual Praça Adélio Lubiana

Casas Pernambucanas

A empresa tradicional em todo o país teve loja em Nova Venécia, na Avenida Vitória, onde hoje funciona a Boto Calçados. Na Grande Vitória e em outros municípios do interior, as Lojas Pernambucanas vendia tecidos, cama, mesa e banho e itens de vestuário. Uma das lojas de maior destaque foi a da Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro de Vitória. A rede funcionou no Estado até a década de 1990 e ainda existe fora do Espírito Santo. A Zelma Hoffman foi funcionária das Casas Pernambucanas já na inauguração, em 1980. “Trabalhei dois anos lá, vendia muito, vivia lotada e tinha de tudo lá, eram dois andares de produtos”, diz.

» Casas Pernambucanas funcionava onde hoje é a Boroto Calçados. Esta foto é de 1990
» Zelma Hoffman foi funcionária das Casas Pernambucanas

Truck’s II

Se tem um ambiente noturno que deixou saudade foi o Restaurante e PizzariaTruck’s II. Funcionava na Praça Adélio Lubiana, onde atualmente está instalada a Agronova. De propriedade do seu Nezinho Campos Dell Orto e dona Deusdete Malacarne Dell Orto, o restaurante era dirigido por uma das filhas do casal, a Nádia, também contava com o comando dos irmãos, o Timinha, a Sônia e a Carminha. O Truc’s foi inaugurado em 1987 e ficou sob o comando da família do seu Nenzinho por 10 anos. Serestas e muita comida gostosa marcaram o local, que era um dos estabelecimentos que recebia autoridades, visitantes e artistas que chegavam ao município.

» (Foto 1997) Truc’s II era um dos ambientes que recebia os artistas e autoridades que visitavam o município
» Truc’s II era comandado pelos irmãos Nádia e Timinha Campos Dell Orto

Djalma Trayller Lanches

Um dos lanches mais famosos da cidade, o Djalma Trayller Lanches, ficou para a história. De início era localizado ao lado da Ponte Cristiano Dias Lopes, onde hoje está a Praça Adélio Lubiana. Era ali, do ladinho da ponte que os lanches estilo hambúrguer, com abacaxi no meio, eram servidos. Inaugurado em 1986, o proprietário Djalma José Belmondes, fazia do local uma verdadeira casa noturna, com música ao vivo e a transmissão de jogos. “Fui o segundo a ter TV a Cabo aqui. Já cheguei a ligar oito televisões na hora de jogos. Lotava, era o point do esporte o meu trayller”, diz Djalma. As instalações no trayller mudaram de endereço, transferindo para o lado da rodoviária. Há cinco anos, Djalma encerrou as atividades no ramo, mas pode ter certeza, que deixou muita saudade com os laches apetitosos.

» (2011) Túlio Maravilha no Djalma Trayller Lanches
» Djalma Trayller Lanches era um dos points da boemia veneciana
ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE