sexta-feira, junho 14, 2024
spot_img
HomeDestaqueEx-diretora do Hospital São Marcos vence prêmio como Líder em Hospital Público

Ex-diretora do Hospital São Marcos vence prêmio como Líder em Hospital Público

A ex-diretora do Hospital São Marcos e atual diretora geral do Hospital Estadual Dório Silva, na Serra, Gilmara Sossai, conquistou o prêmio Líder Empresarial do Espírito Santo 2021, promovido pela Rede Vitória, na categoria Líder em Hospital Público.

Publicidade

Após votação popular no jornal online Folha Vitória, que aconteceu entre os dias 13 e 26 de outubro, Gilmara receber 35,35% dos votos e ficou à frente a do diretor do Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, Rodrigo André Seidel (33,18%), e do Hospital Estadual de Urgência Emergência (HEUE), o novo São Lucas, Alexandre Bittencourt (31,45%).

Publicidade

“Em um primeiro momento, eu não sabia nem que tinha sido indicada, então já foi uma surpresa boa, um reconhecimento, mas, ganhar, foi maravilhoso, foi muito bom. Ao longo da nossa vida, me dediquei muito, abri mão de muitas coisas e momentos. Durante essa pandemia, tiveram dias que cheguei a trabalhar 15 horas e, no auge, 21 dias diretos, de domingo a domingo. Foi um período muito difícil, mas essa premiação me deixa muito lisonjeada. Recebi mensagens de pessoas que nem conhecia, até porque, na nossa trajetória profissional, muitas vezes não lembramos de todos que trabalhamos, mas, de alguma forma, marcamos a vida daquela pessoa e ela tem essa consideração, vai lá e vota. Fiquei muito feliz”, comemorou.

Formada em Administração Hospitalar no ano de 1992, Gilmara foi diretora do Hospital São Marcos, em Nova Venécia, por duas oportunidades, de 1997 a 1999 e de 2009 a 2013, diretora do Hospital Dr. Roberto Arnizaut Silvares, diretora do Hospital Paineiras, em Itabatã (BA), gerente da Rede Cuidar, de Nova Venécia, onde participou, ativamente, da parte de implantação, e superintendente Regional de Saúde de São Mateus.

Apesar de ter nascido em São Mateus, a infância de Gilmara se deu no Córrego da Areia e, logo que sua irmã mais velha atingiu a idade escolar na época, ela veio morar em Nova Venécia, onde possui familiares e residência até hoje o que, sem dúvidas, foi fundamental para o seu retorno ao Espírito Santo, que culminou, hoje, com essa premiação. “Após terminar a faculdade, eu decidi voltar para o Espírito Santo em 1993. Não quis ficar em São Paulo, apesar de ter recebido duas ofertas de trabalho na época, e optei retornar por opção. Eu acho que ao longo dos anos, com as oportunidades que eu tive, com o trabalho e com o desempenho, consegui alcançar essa notoriedade no Estado. A gente não vem pronto, então, ao longo da nossa carreira, todos que vamos conhecendo vão contribuindo. A gente se dedicando, estudando, tentando entender o processo. São vários fatores e agradeço a cada uma que pode contribuir”.

Gilmara assumiu a direção do Hospital Estadual Dório Silva em 12 de maio de 2020, logo no início da pandemia do novo coronavírus e, desde então, a unidade vem passando por melhorias e ampliações. “Foram muitos desafios, o hospital virou referência no tratamento da Covid-19, com 88 leitos de UTI Covid, 14 leitos de sala vermelha e vários outros de enfermaria. Fomos mostrando outras necessidades para a Secretaria de Estado da Saúde e ampliamos as áreas de apoio, construímos um novo almoxarifado, um nova Central de Distribuição Farmacêutica, ampliamos mais 30 leitos e, agora, vamos ganhar um novo centro cirúrgico, com uma nova central de esterilização. São investimentos ao longo do tempo e o hospital vem sendo reestruturado, aumentando a sua capacidade produtiva com segurança”, disse.

“São mais de 1,3 mil profissionais. Nós passamos por momentos difíceis, como todos, e a gente, como hospital de referência, passou por momentos de angustia e até de desespero, mas, também, por momentos gloriosos, como com pacientes que a gente achava que não iria se recuperar e vimos ir embora para casa. Hoje, o Dório Silva tem outra cara, tem o seu lugar, porque é um hospital que iria deixar de existir quando o Jayme Santos Neves foi construído, mas isso não aconteceu, ainda bem. Ele estava em uma condição muito ruim e com a pandemia e investimentos, veio outra conotação, sem nenhum centavo gasto com estrutura provisória. Foi uma ação muito assertiva do Governo do Estado”, concluiu.

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE