quinta-feira, julho 18, 2024
spot_img
HomeNorte do ESEx e enteados mataram padrasto como "queima de arquivo" em Ecoporanga, diz...

Ex e enteados mataram padrasto como “queima de arquivo” em Ecoporanga, diz polícia

Adriana Teixeira de Brito, de 40 anos, e os dois filhos dela, Elias Vagner Brito dos Santos, de 22 anos, e João Paulo Teixeira de Farias, de 31, foram presos suspeitos do crime.

O assassinato de Atarteliano Soares Ferreira, de 37 anos, ocorrido na tarde de quinta-feira (4), enquanto ele pilotava uma moto na ES 320, em Ecoporanga, teve como motivação a “queima de arquivo”. A informação é da Polícia Civil, que prendeu na sexta-feira (5), a ex-companheira da vítima, Adriana Teixeira de Brito, de 40 anos, e os dois filhos dela, Elias Vagner Brito dos Santos, de 22 anos, e João Paulo Teixeira de Farias, de 31.

Publicidade

Segundo os investigadores, a família é suspeita de fazer do crime um meio de vida na cidade. Atarteliano mantinha um relacionamento com Adriana, e de acordo com a polícia, foi assassinado pelos filhos da mulher, Elias e João, como queima de arquivo. O trio foi preso por ordem da Justiça, em uma operação nominada de “ad proditionem”, que em tradução livre, significa “trair”, ou a descrição de prova ou evidência.

Publicidade

Prisões

Durante a operação, as equipes policiais cercaram várias residências em uma rua do bairro Vila Nova, Ecoporanga, todas pertencentes à mulher. Em uma das casas, os policiais encontraram um dos filhos, de 22 anos, em posse de uma garrucha calibre 38. A mãe, de 40 anos, também foi encontrada em outra casa e teve o mandado de prisão cumprido contra ela.

Em continuidade à operação, outros imóveis de propriedade da suspeita foram averiguados e em frente a uma delas, as equipes observaram várias embalagens frequentemente utilizadas para o embalo de drogas espalhadas pelo chão. No interior da residência, os policiais encontraram 96 pedras de crack prontas para o comércio, 63 pedras da mesma droga pesando 940 gramas, três balanças de precisão, oito caixas de lâminas de barbear, cinco pacotes de 100 unidades cada de sacolés, 160 munições de calibre 38, 50 munições de calibre .40, 12 cápsulas de calibre 38 deflagradas. Também foi encontrado um sistema de monitoramento por câmera instalado em um dos cômodos da residência, utilizado para vigiar o armazenamento das drogas e armas.

Itens apreendidos. Crédito: Divulgação / Polícia Civil

Ao final da operação, os policiais receberam informações de que o outro filho da suspeita, de 31 anos, estaria escondido em uma residência no final da rua. Ele foi localizado e preso conforme o mandado em seu desfavor. Os suspeitos foram encaminhados ao Hospital Fumatre para avaliação médica e, em seguida, conduzidos à 14ª Delegacia Regional de Barra de São Francisco, junto com todo o material apreendido.

Segundo a Polícia Militar, equipes da corporação e da Polícia Civil cumpriram mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. Nos endereços dos suspeitos foram encontrados e apreendidos:

  • 900 gramas de substância análoga à crack;
  • 96 pedras de crack;
  • 01 arma de fogo calibre 38;
  • 160 munições calibre .38;
  • 50 munições calibre .40;
  • 03 balanças de precisão;
  • 08 caixas de Gillete;
  • 05 pacotes de sacolas para chup chup;
  • 01 câmera de filmagem;
  • 02 celulares.

Execução da vítima

Atarteliano Soares Ferreira, de 37 anos, foi assassinado com tiros na cabeça e no ombro enquanto pilotava sua motocicleta na tarde de quinta-feira (4), na rodovia ES 320, em Ecoporanga, no Norte do Espírito Santo. Um dos suspeitos do crime, identificado como Elias Vagner Brito dos Santos, de 22 anos, que seria enteado da vítima, chegou a ser preso pela Polícia Militar, mas foi liberado no mesmo dia na Delegacia Regional de Barra de São Francisco, pois a Polícia Civil entendeu que não estavam dadas as condições para prisão em flagrante naquele momento.

Segundo a Polícia Militar, uma equipe foi acionada com a informação de que um motociclista havia sido alvejado, sendo que os suspeitos estariam em uma moto Honda de cor preta, e que os atiradores chegaram a cair damoto em que eles estavam no momento do crime. No local, os policiais encontraram uma moto de cor prata caída às margens da rodovia, e o corpo de Atarteliano Soares Ferreira sobre o asfalto. Uma equipe do Samu/192 foi acionada e constatou o óbito da vítima no local. A perícia da Polícia Científica foi acionada.

Ainda segundo a PM, o pai da vítima foi quem reconheceu o corpo do filho no local do homicídio. Testemunhas contaram que os suspeitos do crime seriam dois irmãos, e que eles estavam feridos por causa da queda da moto que tiveram na consumação do crime. Equipes da Força Tática foram acionadas para ajudarem a localizar os assassinos.

Durante as diligências, os militares foram informados de que um dos indivíduos estaria na casa da mãe, no bairro Vila Nova. Ao ser indagada sobre o paradeiro dos filhos, a mulher informou não saber, mas as equipes viram quando um suspeito se escondeu debaixo de uma coberta em um quarto. O homem, de 22 anos, foi revistado, mas nada de ilícito foi encontrado. Ele apresentava escoriações que o mesmo informou serem provenientes de uma queda de moto. De acordo com as informações coletadas, a vítima do homicídio era padrasto do suspeito e ex-marido da mãe dele. O indivíduo foi conduzido ao Hospital Fumatre, em Ecoporanga, para atendimento médico devido às lesões sofridas durante a queda.

Segundo a ocorrência à qual a reportagem teve acesso, a perícia da Polícia Científica (PCIES) identificou duas perfurações de arma de fogo no corpo da vítima, sendo uma na cabeça e outra no ombro esquerdo da vítima.

A Polícia Civil informou que o suspeito, de 22 anos, levado à Delegacia Regional de Barra de São Francisco, foi ouvido e liberado, já que a autoridade policial não identificou elementos suficientes para realizar a prisão em flagrante naquele momento.  O corpo da vítima foi encaminhado para o Serviço Médico Legal (SML) de Colatina, para ser necropsiado e, posteriormente, liberado para os familiares. O caso segue sob investigação da Delegacia de Polícia de Ecoporanga.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE