quarta-feira, fevereiro 21, 2024
spot_img
HomeViolênciaEx-prefeito de Catuji vira réu acusado de matar médica em quarto de...

Ex-prefeito de Catuji vira réu acusado de matar médica em quarto de hotel em Colatina

Fuvio Luziano Serafim, de 44 anos, seguirá preso por tempo indeterminado acusado da morte de Juliana Pimenta Ruas El-Aouar, de 39 anos. A Justiça, no entanto, mandou soltar o motorista do casal, Robson Gonçalves dos Santos, de 52 anos.

A Justiça acolheu nesta quarta-feira (18), a denúncia oferecida pelo Ministério Público (MPES), e tornou réu, o ex-prefeito Catuji, em Minas Gerais, Fuvio Luziano Serafim, de 44 anos, acusado de matar a companheira dele, a médica Juliana Pimenta Ruas El-Aouar, de 39 anos, no dia 2 de setembro deste ano, no quarto de um hotel em Colatina, no Noroeste do Espírito Santo. Fuvio seguirá preso preventivamente, por tempo indeterminado. A decisão é da juíza Silvia Fonseca Silva, que no mesmo despacho, mandou soltar o motorista do casal, preso junto com Fuvio no dia do crime, Robson Gonçalves dos Santos, de 52 anos.

Publicidade

A juíza argumenta na decisão em que aceitou a denúncia do MP, que “após as investigações, o Ministério Público, titular da presente ação penal, concluiu que os fatos praticados por Robson se amoldam apenas ao crime de fraude processual” e não de participação no homicídio, como foi apontado pela Polícia Civil. Por essa razão, a juíza determinou a soltura de Robson. “Embora conexo ao crime de homicídio, possui menor potencial ofensivo (o crime de fraude processual)”, argumentou a magistrada.

Publicidade
A médica Juliana Pimenta Ruas El-Aouar, de 39 anos, o réu Fuvio Luziano Serafim, de 44 anos, e o motorista do casal, Robson Gonçalves dos Santos, 52 anos. Crédito: Instagram / Montagem Rede Notícia

Relembre o caso

Juliana Pimenta Ruas El-Aouar, de 39 anos, foi encontrada morta na manhã de sábado (2), com hematomas no corpo, em um quarto de hotel onde estava hospedada com o marido, em Colatina. A médica psiquiatra atuava em Teófilo Otoni (MG), cidade de 140 mil habitantes, onde o pai dela o também médico Samir Sagi El-Aouar, foi prefeito e vereador.

Laudo do Médico Legista

A Rede Notícia teve acesso a Declaração de Óbito emitida pelo Serviço Médico Legal (SML) de Colatina, que aponta as causas da morte da médica mineira Juliana Pimenta Ruas El-Aouar, de 39 anos. Segundo o documento, Juliana morreu em decorrência de:

  • Hipoxemia: baixa concentração de oxigênio no sangue arterial;
  • Asfixia mecânica: impedimento direto da respiração, por oclusão dos orifícios respiratórios externos;
  • Broncoaspiração: entrada de substâncias estranhas, tais como alimentos e saliva, na via respiratória;
  • Traumatismo cranioencefálico: consiste em lesão física ao tecido cerebral que, temporária ou permanentemente, incapacita a função cerebral
Declaração de Óbito aponta causas da morte da médica Juliana Pimenta Ruas El-Auoar. Crédito: Serviço Médico Legal de Colatina

Detalhes do caso

Segundo a Polícia Militar, uma equipe foi acionada para verificar a informação de que teria ocorrido um assassinato em um hotel de Colatina, na manhã do sábado, 2 de setembro. No local, os PMs foram recebidos pelo gerente do hotel que informou que havia uma hóspede em um quarto com o marido, no terceiro andar, e em um quarto ao lado, o motorista do casal. Segundo o gerente, outros hóspedes reclamaram de barulho e bagunça vindos do quarto do casal durante a madrugada. Na manhã deste sábado, o marido da médica apareceu na recepção, alterado, querendo pagar a conta e alegando que a esposa estaria passando mal e teria desmaiado. O Samu/192 foi acionado, e constatou o óbito no local.

Para os policiais militares, o homem contou que a esposa fez um procedimento cirúrgico na sexta-feira (1), e em seguida, jantaram em uma churrascaria, e foram para o hotel dormir, por volta de 20h de sexta-feira (1). Na manhã de sábado (2), segundo a versão dele, a mulher amanheceu desmaiada.

O motorista do casal informou aos policiais, que foi chamado por Fuvio para ir ao quarto onde ele a mulher estavam hospedados, pois a médica havia caído no banheiro e precisava de ajuda. Segundo a PM, como houve informações divergentes, o marido da médica e o motorista do casal foram levados para a Delegacia Regional de Colatina.

Na ocasião, a Polícia Civil informou que Fuvio Luziano Serafim, de 44 anos foi autuado em flagrante por homicídio qualificado por motivo torpe mediante recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima, cometido contra a mulher por razões da condição de sexo feminino (feminicídio). Já o motorista do casal, Robson Gonçalves dos Santos, de 52 anos, foi autuado em flagrante por homicídio qualificado por motivo torpe mediante recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa da vítima. Ambos foram encaminhados ao sistema prisional.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE