segunda-feira, maio 20, 2024
spot_img
HomeEspírito SantoEx-servidora de Nova Venécia é suspeita de desviar recursos de aluguel social

Ex-servidora de Nova Venécia é suspeita de desviar recursos de aluguel social

Segundo o Tribunal de Contas do Espírito Santo, Marcilene da Rocha Bungenstab é suspeita de desviar mais de R$ 600 mil para a conta do marido dela.

O Tribunal de Contas do Espírito Santo (TCE-ES), condenou a servidora Marcilene da Rocha Bungenstab suspeita de desviar mais de R$ 600 mil para a conta do marido dela, de recursos que pagariam o aluguel social para famílias carentes em Nova Venécia.

Publicidade

Marcilene era chefe da Divisão de Contabilidade da Prefeitura de Nova Venécia. A servidora era responsável pelo Fundo Municipal de Assistência Social, entre os anos de 2013 e 2020.

Publicidade

Em 2021, servidores que assumiram o cargo na nova gestão do município, desconfiaram de irregularidades, e acionaram o Tribunal de Contas do Estado (TCE-ES).

O aluguel social é destinado a famílias que vivem em áreas de alta vulnerabilidade social, seja por conta da segurança pública, ou por causa da infraestrutura das casas, que muitas vezes ameaçam desabar e colocam em risco a vida dos moradores. Era o dinheiro destinado a esse serviço eventual de assistência social, que a servidora pública é suspeita de desviar para a conta do marido.

Veja a cronologia e os valores desviados, segundo o Tribunal de Contas:

  • R$ 970 em 2013
  • R$ 20.337 em 2014
  • R$ 45.431 em 2015
  • R$ 51.785 em 2016
  • R$ 75.263 em 2018
  • R$ 83.851 em 2019
  • R$ 108.472, 48 em 2020

Os valores totalizam R$ 453.504,69, que em valores atualizados ultrapassam os R$ 612 mil. A servidora foi condenada pelo Tribunal de Contas à devolver todo o valor aos cofres públicos. Além dessa condenação, a Marcilene está sendo processada civil e criminalmente.

A servidora foi demitida da Prefeitura no dia 06/10/2021, depois de responder a um Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

A Rede Notícia entrou em contato com Marcilene da Rocha Bungenstab nesta sexta-feira (10). Ela disse que não tinha condições de se manifestar sobre o caso. Nós também procuramos o marido dela, que seria autor da conta bancária destinatária dos valores desviados. Ele não atendeu à nossa ligação. Nós encaminhamos mensagem via WhatsApp ao número de telefone atribuído a ele. Este texto será atualizado se houver retorno.

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE