quinta-feira, fevereiro 29, 2024
spot_img
HomeTristezaJovem de 21 anos grávida de 9 meses morre na porta de...

Jovem de 21 anos grávida de 9 meses morre na porta de hospital em Água Doce do Norte

Família fala em "negligência médica". Syang Siqueira havia ido a hospital em Barra de São Francisco um dia antes, mas foi liberada pela médica plantonista; veja o que se sabe

A morte de uma jovem de 21 anos, que estava grávida de 9 meses, chocou o município de Água Doce do Norte, no Noroeste do Espírito Santo, nesta segunda-feira (22). Segundo Rosilene Soares Loredo, 26 anos, cunhada de Syang Siqueira, a jovem passou mal no domingo (21), e foi levada pelo companheiro, Leandro Soares Loredo, de 28 anos, para o Hospital Estadual Dr. Alceu Melgaço Filho, em Barra de São Francisco.  Lá, a médica plantonista teria orientado que a mulher não estava na hora do parto, que não havia dilatado, que estava “tudo bem”, e que ela deveria retornar para casa.

Publicidade

Syang seguiu passando mal, e na madrugada desta segunda-feira (22), foi levada pelo marido para o Posto Médico 24h de Água Doce, onde morreu, com a criança no ventre, logo após dar entrada na unidade. Segundo a cunhada da vítima, a Unidade Básica do Samu/192  teria sido orientada pela regulação a não fazer a transferência da jovem de Água Doce para Barra de São Francisco, a fim de aguardar uma Unidade de Suporte Avançada (USA), que iria de Barra de São Franscisco para Água Doce, para remover a grávida. Syang morreu quando ainda estava na porta do hospital dentro da ambulância do Samu conhecida como USA, a que é acompanhada de enfermeiro e médico dentro.

Publicidade

A menina que ia nascer se chamaria Malya, e era a primogênita da mãe e do pai, Leandro, que perdeu a esposa junto com a filha. O corpo da mãe, com a bebê na barriga, foi levado para o Serviço de Verificação de Óbito (SVO), em Vitória. Não há previsão de horário para velório. A família pede justiça. Segundo Rosilene, cunhada de Syang, a jovem estava com a saturação baixa quando da ida ao hospital em Barra de São Francisco, e mesmo tendo relatado de dor, foi liberada. Ela contou ainda, que Syang fez pré-natal (acompanhamento gestacional) regular e que nada apontava para riscos que a jovem pudesse ter.

“Uma dor que não consigo explicar. Era a primeira filha deles. A gente pede justiça”, disse Rosilene Soares Loredo, cunhada de Syang.

Procurada pela Rede Notícia, a Polícia Científica (PCIES) informou que, “em casos de óbito por causas naturais e não violentas, é necessário contatar uma funerária (ou o CRAS, para aqueles que não têm condições de custear os serviços) para a remoção do corpo ao Serviço de Verificação de Óbito (SVO) da Secretaria da Saúde (Sesa), onde será conduzida a necropsia e emitida a Declaração de Óbito. O transporte de corpos pelo Departamento Médico Legal (DML) ou Serviço Médico Legal (SML) é providenciado somente em locais onde ocorreram mortes violentas, em casos com suspeita de violência, ou quando os corpos se encontram em avançado estado de decomposição”.

A Secretaria da Saúde (Sesa) diz que lamenta o ocorrido e informou que “a gestante buscou atendimento no Hospital Estadual Dr. Alceu Melgaço Filho na manhã do último domingo (21) se queixando de perda de líquido e dores. Durante o atendimento, foram realizados todos os exames necessários, assim como o pré-natal de rotina, e foi verificado que a paciente não possuía perda de líquido e que o colo de útero estava fechado e sem dilatação. A paciente foi medicada para dor e recebeu alta após a melhora clínica. A direção do está à disposição da família para outros esclarecimentos. Sobre o atendimento móvel, a coordenação do Samu 192 informa que, após acionado, enviou ambulância para o atendimento à paciente que recebeu o socorro da equipe. No entanto, foi a óbito”.

Luto

O prefeito de Água Doce do Norte, Abraão Lincon (PSD), decretou luto oficial de dois dias no município por causa da tragédia.

A Akinet Telecom, empresa que Leandro Soares Loredo, companheiro de Syang trabalha, divulgou nota em que oferece condolências ao colaborador pela morte da esposa dele, e da filha que nasceria. “A dor é inestimável e não encontramos palavras nesse momento. Estamos de luto! Receba o abraço e os sinceros sentimentos de toda a equipe Akinet”, diz a nota.

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE