sexta-feira, junho 14, 2024
spot_img
HomeDestaqueJovem veneciano é aprovado no ITA, considerado o vestibular mais difícil do...

Jovem veneciano é aprovado no ITA, considerado o vestibular mais difícil do País

Após quatro anos de preparação, Gabriel Firme Rodrigues irá estudar no Instituto Tecnológico de Aeronáutica, considerada uma das maiores escolas de engenharia da América Latina

Publicidade

Ser aprovado naquela que é considerada a escola de engenharia com um processo seletivo considerado um dos mais rigorosos do País, não é para qualquer um. Mas é para o veneciano Gabriel Firme Rodrigues, 22 anos, que no último dia 22 de dezembro, recebeu a tão esperada notícia: aprovado no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). “Passei dias sem dormir aguardando o resultado. Estava no terraço da minha casa, aqui em Nova Venécia. Foi uma sensação nunca antes experimentada, primeira realização de um investimento de médio prazo. Essa conquista não é como se fosse um pico de alegria, que vem e passa como fogo de palha, é algo que se mantém em várias circunstâncias”, narra.

Publicidade

Ex-aluno da Escola A Ciranda, filho dos servidores públicos, Elciomar Rodrigues e Maria Mônica Firme Rodrigues, Gabriel terminou o ensino médio no Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), de Nova Venécia, no curso de técnico em Edificações, há quatro anos, data que o estudante iniciou a saga das tentativas em ser aprovado no tão sonhado instituto de ensino superior. “Mudei para São José dos Campos (São Paulo) e me matriculei em um cursinho preparatório. Passei esses anos estudando todos os dias, inclusive aos sábados e domingos”, diz.

Entre aulas ministradas pelo cursinho e em casa, o veneciano contou com cerca de 12 horas de estudos diários. Para ter uma ideia, em todos esses anos, dava para o estudante ter se formado em outra universidade, afinal, ele havia sido aprovado em várias outras instituições no curso de engenharia, como por exemplo, o da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Instituto Militar de Engenharia (IME), e várias outras, mas não era o que ele queria, o negócio do Gabriel era o ITA. “Meus pais sempre me apoiaram na decisão que tomei em continuar tentando, não desisti. Cheguei a quase conseguir entrar, por 0,8 pontos, em uma dessas tentativas não deu. Agora a vitória chegou depois de muito treino, muita dedicação”, descreve.

O ITA fica localizado também em São José dos Campos, São Paulo, na mesma cidade que o estudante fez o cursinho. Oficial Engenheiro da Força Aérea Brasileira (FAB), que foi a opção escolhida por Rodrigues, a disputa foi cerca de 120 candidatos por vaga. Disponíveis, apenas 25 vagas de ampla concorrência, disputadas por 3.500 mil candidatos inscritos. “Não por arrogância ou convencimento, mas é que após inúmeras frustrações ao longo de quatro anos, não há nada mais verdadeiro e espontâneo do que o desejo no coração de finalmente ter conseguido”, desabafa.

Agora, Gabriel se prepara para finalmente estudar no ITA, no curso que tem duração de cinco anos. “Ainda não sei qual carreira irei fazer, a escolha é feita por pontuação, e deve ser no próximo mês. Inicialmente, vou ficar na carreira militar, mas estou aberto a descobrir novas possibilidades”, esclarece.

Lembrando que, nem todos os alunos que estudam no ITA seguem a carreira militar, já que o mercado é amplo e proporciona geralmente, empregos de grande poder financeiro.

» Em frente ao ITA, os pais, Elciomar Rodrigues e Maria Mônica Firme Rodrigues, a irmã, Larissa, e Gabriel
ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE