quinta-feira, fevereiro 29, 2024
spot_img
Home Brasil Libertadores deixa de ser amor proibido para o Fluminense, campeão da América

Libertadores deixa de ser amor proibido para o Fluminense, campeão da América

0
Libertadores deixa de ser amor proibido para o Fluminense, campeão da América
O atacante argentino do Fluminense, German Cano, ergue o troféu após vencer a última partida de futebol da Copa Libertadores entre o Fluminense do Brasil e o Boca Juniors da Argentina no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Brasil, em 4 de novembro de 2023. Crédito: CARL DE SOUZA / AFP via Getty Images)
Jogadores do Fluminense comemoram com o troféu após vencer a final da Copa Libertadores entre o Fluminense do Brasil e o Boca Juniors da Argentina, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Brasil, em 4 de novembro de 2023. Crédito: SILVIO ÁVILA/AFP via Getty Images

Chegou a vez do Fluminense! Em um jogo com pitadas de drama, com direito a prorrogação, expulsões e gols dos seus artilheiros, o clube finalmente entrou para o panteão de campeões da Conmebol Libertadores. John Kennedy foi o herói da conquista ao marcar o gol da vitória por 2 a 1 sobre o Boca Juniors, neste sábado, no Maracanã, no primeiro tempo da prorrogação – Cano abriu o placar no primeiro tempo e Advíncula havia empatado no segundo.

Publicidade

RIO DE JANEIRO, BRASIL – 04 DE NOVEMBRO: Torcedores do Fluminense se divertindo antes da partida final da Copa CONMEBOL Libertadores 2023 entre Fluminense e Boca Juniors no Estádio do Maracanã em 4 de novembro de 2023 no Rio de Janeiro, Brasil. (Foto de Caique Coufal/Eurasia Sport Images/Getty Images)RIO DE JANEIRO, BRASIL – 04 DE NOVEMBRO: durante a partida final da Copa CONMEBOL Libertadores 2023 entre Fluminense e Boca Juniors no Estádio do Maracanã em 4 de novembro de 2023 no Rio de Janeiro, Brasil . Crédito: Caique Coufal/Eurasia Sport Images/Getty Images

Ao colocar John Kennedy em campo, o técnico Fernando Diniz chamou o jovem e o incentivou falando que faria o gol do título. O jovem entrou e correspondeu com um golaço, que garantiu a conquista. Na comemoração, foi para os braços da torcida e acabou sendo expulso ao levar o segundo cartão amarelo.

Publicidade
O zagueiro do Fluminense David Braz exibe o troféu aos torcedores após vencer a final da Copa Libertadores entre o Fluminense do Brasil e o Boca Juniors da Argentina no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Brasil, em 4 de novembro de 2023. Crédito: CARL DE SOUZA/AFP via Getty Images

O Fluminense dominou o primeiro tempo por completo. O gol de Cano, aos 35 minutos, premiou a superioridade diante de um Boca Juniors muito acuado na defesa, talvez esperando uma oportunidade, que até aconteceu com Merentiel, mas não foi bem finalizada.

Com a desvantagem, o Boca Juniors precisou correr atrás no segundo tempo. Passou a ter mais a bola, até que Advíncula empatou o jogo com um chute de esquerda, aos 26 minutos. Depois disso, os dois times tiveram oportunidades de definir o jogo ainda no tempo regulamentar, mas o Fluminense teve a mais clara, com Diogo Barbosa no último lance.

O atacante do Fluminense John Kennedy (E) e o técnico do Fluminense Fernando Diniz comemoram a vitória na final da Copa Libertadores entre o Fluminense do Brasil e o Boca Juniors da Argentina no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Brasil, em 4 de novembro de 2023. Crédito: Foto de CARL DE SOUZA/AFP via Getty Images

O empate levou o jogo para a prorrogação. As oportunidades foram raras e quem soube aproveitar melhor foi o Fluminense. Diogo Barbosa deu ótimo passe para Keno, que ajeitou de cabeça para John Kennedy marcar, aos oito minutos do primeiro tempo do tempo extra para definir o jogo. Ele comemorou com a torcida e acabou expulso ao ser punido com o segundo amarelo.

O Fluminense ficou pouco tempo com um jogador a menos. No fim do primeiro tempo da prorrogação, Fabra deu um tapa em Nino e também foi expulso. Nos 15 minutos finais, o time se plantou na defesa e segurou a vitória, o título e a glória eterna.

A conquista do Fluminense fez o Brasil se tornar o primeiro país a ter cinco títulos seguidos da Conmebol Libertadores

Rumo ao Mundial

Com a conquista do título da Libertadores, o Fluminense garantiu a classificação para as edições de 2023 e 2025 do Mundial de Clubes e para a Recopa, que será disputada em 2024 contra a LDU, do Equador, campeã da Copa Sul-Americana.

Com o Mundial apenas em dezembro, na Arábia Saudita, o Fluminense volta a jogar pelo Campeonato Brasileiro na quarta-feira, contra o Internacional, no Beira-Rio.

*Com informações de Globo Esporte (ge)