domingo, abril 14, 2024
spot_img
HomeDestaqueMais de 300 soluções do Cidade Empreendedora para os 78 municípios capixabas

Mais de 300 soluções do Cidade Empreendedora para os 78 municípios capixabas

Com o salão lotado e a presença de prefeitos e vice-prefeitos capixabas, além de secretários municipais e estaduais, o II Encontro de Cidades Empreendedoras, realizado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae/ES), apresentou o balanço dos primeiros dois anos do programa, além dos desafios para 2023. O destaque ficou para a mudança efetiva do Índice de Capacidade de Estímulo ao Empreendedorismo (ICEE) do Espírito Santo, que em menos de um ano subiu de 4 para 5,4 pontos, graças ao empenho dos 78 municípios do estado.

Publicidade

“O Espírito Santo foi o primeiro do Brasil a ter 100% dos municípios atendidos pelo Programa Cidade Empreendedora, e temos certeza que as mais de 300 soluções contratadas pelo Sebrae/ES para as 78 prefeituras capixabas, incluindo cursos, oficinas e consultorias, contribuíram para que o Espírito Santo se destacasse nacionalmente com o crescimento do ICEE”, aponta Pedro Rigo, superintendente do Sebrae/ES.

Publicidade

Durante o evento, Pedro Rigo apresentou alguns números de destaque dos primeiros passos dados pelos municípios capixabas com o Programa Cidade Empreendedora. “Hoje temos 64% dos municípios com a Sala do Empreendedor, 33% das prefeituras já capacitadas para elaborar projetos para capitação de recursos, 49 prefeituras com ações de Educação Empreendedora em suas escolas e 50% das prefeituras com o Plano de Desenvolvimento Econômico elaborado. Esses são alguns números que apontam o quanto o Sebrae/ES vem apoiando os municípios capixabas e contribuindo para o desenvolvimento de todas as cidades. O que buscamos é que todas as prefeituras alcancem o índice 10 do empreendedorismo, e para isso precisamos seguir caminhando juntos”, reforçou Rigo.

Pedro Rigo, superintendente do Sebrae/ES

Nova fase

Também foram apresentados pelo superintendente do Sebrae/ES, durante o evento, os desafios para o Cidade Empreendedora em 2023, programa que ainda conta com o apoio do Governo do Espírito Santo, por meio da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo do Estado (Aderes).

Cada prefeitura recebeu um exemplar da primeira edição da revista digital Programa Cidade Empreendedora, repleta de informações sobre o programa e também sobre os municípios capixabas. Ainda foi entregue pelo Sebrae/ES um relatório completo, trazendo informações sobre as ações realizadas pela prefeitura junto ao Cidade Empreendedora, assim como os índices atingidos, mostrando o que ainda pode ser feito para seguir avançando. Esses dados ainda reúnem as informações socioeconômicas de cada cidade.  “Sem dúvidas as nossas cidades estão mais empreendedoras, e queremos continuar juntos com essa jornada”, frisou Rigo.

Cada prefeito também recebeu do Sebrae/ES o passaporte Cidade Empreendedora, apontando todo o trajeto que precisa ser cumprido para que cada município consiga atingir o índice 10 de cidade empreendedora, um artifício a mais para inspirar os prefeitos a seguirem empenhados no desenvolvimento do município e nas ações destinadas ao empreendedorismo em suas cidades. E essa motivação ainda inclui a participação numa Missão Internacional, ainda em 2023.

“Esse passaporte vai levar alguns prefeitos para uma Missão Internacional do Sebrae/ES, com a chance de conhecer boas práticas de políticas públicas em municípios de Portugal e Espanha. Dessa forma, iniciamos um novo ciclo do Cidade Empreendedora, que vai até agosto de 2023, quando encerramos a etapa e fechamos o levantamento com novos índices por cidade. Os quatro municípios capixabas mais bem colocados no Índice de Cidade Empreendedora, e os quatro que tiverem o maior salto, o maior crescimento percentual e de avanço nesse mesmo índice, serão convidados para essa Missão”, explicou Rigo.

Parceria

O evento contou com a assinatura do Termo de Contrato do Cidade Empreendedora. “O Governo do Estado, ao lado do Sebrae/ES, faz parte desse programa que, sem dúvidas, veio para transformar as cidades capixabas e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. O governo entra com a contrapartida de 30% do programa, permitindo que todos os 78 municípios possam fazer parte do Cidade Empreendedora, por acreditar que esse programa perpassa por todos os eixos da administração pública, fortalecendo cada vez mais a capacidade dessas prefeituras em executar as políticas públicas lá na ponta”, disse a secretária de Governo Maria Emanuela  Alves Pedroso , representando o governador Renato Casagrande.

Para o diretor presidente da Aderes, Alberto Farias Gavini Filho, o Cidade Empreendedora vem identificando o nível de empreendedorismo nos municípios, o que já é feito e também o que se precisa fazer para que seja possível promover o desenvolvimento econômico e social daquela cidade. “Ao desenvolver ações e políticas públicas que promovam o empreendedorismo, a prefeitura promove a geração de emprego e de renda em sua cidade”, frisou Gavini.

Quem também elogiou o Cidade Empreendedora e a parceria entre Sebrae/ES e Governo do Estado foi o presidente da Associação dos Municípios do Estado do Espírito Santo (Amunes) e prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, Victor Coelho. “A Amunes busca trabalhar pela causa municipalista, e o Sebrae/ES é sempre um parceiro no desenvolvimento das cidades. Um exemplo disso é o Cidade Empreendedora, um projeto fantástico e que teve meu apoio desde o começo, ainda mais com a presença do Governo do Estado, permitindo que todos os 78 municípios capixabas fizessem parte. Uma ação que leva mais desenvolvimento para nossas cidades, a exemplo do que aconteceu com Cachoeiro de Itapemirim, que alcançou o melhor saldo de geração de emprego dos últimos 15 anos”, disse Coelho.

Participação

Ao todo, 33 prefeitos estiveram presentes durante o evento, com oito deles participando de uma Roda de Conversa para compartilhar um pouco de suas experiências nos primeiros anos do Cidade Empreendedora. O prefeito de Anchieta, Fabrício Petri, reconheceu que o diagnóstico realizado pelo programa ajudou a traçar o Plano de Ações que levou a cidade a acelerar o desempenho e a aumentar o Índice de Capacidade de Estímulo ao Empreendedorismo.

“Desde então, muitos frutos foram colhidos, a exemplo da criação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Plano de Desenvolvimento Econômico Municipal, que está diretamente atrelado às estratégias para o crescimento e fortalecimento do empreendedorismo em Anchieta, especialmente entre os pequenos negócios”, disse Petri.

Já o prefeito de Muniz Freire, Dito Silva, reconheceu que o ponto de partida para iniciar as ações de desenvolvimento do empreendedorismo em seu município partiu do zero. “Nossa cidade tem um grande potencial para o turismo, mas somente depois da chegada do Sebrae/ES com o Cidade Empreendedora nós estamos vendo o quanto que esse potencial vem se desenvolvendo a cada dia”, contou.

E para o prefeito de Jaguaré, Marcos Guerra, a chegada do Cidade Empreendedora foi transformadora. “Ninguém faz nada sozinho, e por isso precisamos celebrar as nossas parcerias. Foi a oportunidade de ampliarmos as possibilidades de desenvolvimento da cidade e, assim, nos organizarmos para gerar políticas públicas que favoreçam a população”, disse.

Cidade Empreendedora

O Programa Cidade Empreendedora reúne um conjunto de ações institucionais orientadas para potencializar a capacidade do setor público municipal em estimular as atividades produtivas no seu território, por meio da formulação de políticas públicas, regulamentações e processos que melhorem o ambiente de negócios para as micro e pequenas empresas nas cidades. Trata-se de um programa nacional,fomentado pelo Sebrae Nacional e desenvolvido em todos os estados brasileiros.

A metodologia do programa no Espírito Santo propõe a realização de um diagnóstico, uma autoavaliação feita pela equipe técnica da prefeitura, com o apoio de um consultor especialista do Sebrae/ES. Este, ao final da avaliação,aponta o nível de capacidade da gestão pública municipal em estimular as atividades empreendedoras,expresso por meio do ICEE.

A partir da identificação do nível de desempenho, incluindo as respostas efetuadas na autoavaliação, o Cidade Empreendedora indica capacitações e consultorias que a prefeitura analisada pode adotar para aperfeiçoar suas competências em estimular o empreendedorismo. Essas informações são estruturadas em um plano de ação, cabendo ao município a decisão de implementá-lo ou não.

O plano de ação proposto pelo Sebrae/ES à prefeitura engloba o período de 2021 a 2024, dependendo das soluções necessárias. Dessa forma, o município terá até quatro ciclos de atendimento, considerando que cada ano equivale a um ciclo de programa.

Palestra

O evento, realizado nesta quarta-feira (25), no Centro de Convenções de Vitória, também contou com a palestra “Modernização do setor público e geração de um ambiente favorável ao empreendedorismo e à inovação”, do cientista político e doutor em Filosofia, Fernando Schuler. O palestrante também é professor do Insper e colunista da Revista Veja e da Bandnews, além de curador do projeto Fronteiras do Pensamento.

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE