quinta-feira, abril 18, 2024
spot_img
HomeBarra de São FranciscoMenino de 6 anos morre com dengue hemorrágica em Barra de São...

Menino de 6 anos morre com dengue hemorrágica em Barra de São Francisco

Arthur Ribeiro chegou a ir no hospital onde morreu três dias antes.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou a morte do menino Arthur Ribeiro, de apenas 6 anos, por dengue hemorrágica. A criança morreu na última terça-feira (20), em Barra de São Francisco.

Publicidade

O secretário de Saúde de Barra de São Francisco, Elcimar de Souza Alves, informou que a criança foi atendida no Hospital Estadual Dr. Alceu Melgaço Filho no dia 17 de junho, já com exame positivo para dengue. Na ocasião, segundo o secretário, Arthur apresentou plaquetas dentro da normalidade. No dia 20 de junho, a mãe levou a criança na Unidade de Saúde do bairro Campo Novo.

Publicidade

Segundo o secretário, a equipe fez todo o procedimento protocolar, inclusive a hidratação da criança. De lá, o menino foi transferido para o Hospital Estadual Dr. Alceu Melgaço Filho, em Barra de São Francisco, onde a equipe médica percebeu que as plaquetas de Arthur haviam “caído bastante”. O menino não resistiu e morreu no mesmo dia. A médica plantonista atestou “dengue hemorrágica”.

Por nota, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou “que as investigações para as causas do óbito confirmaram a evolução para dengue grave”.

A Sesa reforçou que, com o aumento no número de casos de dengue notificados este ano, a orientação é que ao início de qualquer sintoma, como febre, dores de cabeça e no corpo, que a população busque pelo serviço de saúde mais próximo, como nas Unidades de Saúde Básica de seu bairro, além do início imediato da hidratação. No caso de crianças, é importante que os pais e responsáveis estejam atentos a quaisquer mudanças no comportamento de crianças e adolescentes e aos sintomas por eles apresentados. 

Ainda segundo a Sesa, na maioria das vezes, a doença pode se apresentar como uma síndrome febril com sinais e sintomas inespecíficos como apatia, sonolência, recusa da alimentação, vômitos, diarreia ou fezes amolecidas. A hidratação também deve ser realizada, de forma precoce e abundante com líquidos e soro de reidratação oral, oferecendo com frequência, de acordo com a aceitação da criança, assim como a ida à unidade de saúde para o acompanhamento médico. 

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE