sábado, abril 20, 2024
spot_img
Home Boa Esperança Morte de seringueiro completa 3 meses em Boa Esperança; investigação avança

Morte de seringueiro completa 3 meses em Boa Esperança; investigação avança

0
Morte de seringueiro completa 3 meses em Boa Esperança; investigação avança
Polícia afirma que seringueiro foi assassinado. Corpo foi achado de bruços. Crédito: Leitor / Rede Notícia
Polícia afirma que seringueiro foi assassinado. Corpo foi achado de bruços com marcas de tiros. Crédito: Leitor / Rede Notícia

A morte do seringueiro Edson da Silva Santos, de 37 anos, completou três meses nesta quinta-feira (8). A Rede Notícia apurou que a investigação está bastante avançada. Edson foi encontrado assassinado a tiros, às 14h do dia 8 de março deste ano, em uma plantação de seringueira, onde ele trabalhava desde os 13 anos de idade, no Córrego Água Fria, próximo ao distrito de Sobradinho, em Boa Esperança.

Publicidade

O corpo de Edson Silva Santos foi encontrado em meio a uma plantação de seringueira, no local em que trabalhava. Crédito: Facebook / Reprodução

A reportagem apurou que a Polícia Civil solicitou quebra de sigilo telefônico do suspeito alvo de uma operação no dia 16 de março, no patrimônio do Km 20, a cerca de 4 quilômetros do local do crime, e também da ex-mulher da vítima. O processo corre em segredo de Justiça, mas nós apuramos que os pedidos de interceptação telefônica feitos pela Polícia foram acolhidos pela Justiça. Citamos “pedidos”, no plural, pois são mais um de alvo.

Publicidade

A Polícia Civil informou que as investigações e as diligências da Delegacia de Policia de Boa Esperança estão em andamento e, até o momento, nenhum suspeito foi detido. ‘Os policiais estão trabalhando com afinco, todos os dias, com objetivo de prestar o melhor serviço aos parentes da vítima’, informou a corporação.

Pontos que os investigadores já sabem

  • O assassino sabia quem era Edson, e também conhecia onde ele trabalhava.
  • Edson foi morto com tiros à queima-roupa, ou seja, à uma curta distância.
  • Provavelmente, Edson chegou a ver seus algozes momentos antes de ser assassinado.

Operação contra suspeito

No dia 16 de março, as polícias Civil e Militar fizeram uma megaoperação no município de Boa Esperança. Eram vários mandados de busca e apreensão, sobre diversos casos e assuntos. A reportagem apurou que entre os alvos estavam suspeitos de envolvimento no planejamento e na execução do seringueiro Edson. Uma das casas onde a polícia bateu à porta no âmbito dessa investigação fica no patrimônio de Km 20. Ninguém foi preso até o momento.

Assassinado no local de trabalho

Edson da Silva Santos, de 37 anos foi encontrado morto na tarde do dia 8 de março, em meio a uma plantação de seringueira, onde ele trabalhava, no Córrego Água Fria, próximo ao distrito de Sobradinho, em Boa Esperança.

À época, a Rede Notícia teve acesso ao Boletim de Ocorrência formulado pela Polícia Militar. Nele, é narrado que quando os policiais chegaram ao local, o corpo da vítima estava caído de bruços.

O irmão da vítima contou aos policiais militares, que Edson era um homem trabalhador e sem vícios, que havia saído de casa (no distrito de Sobradinho) para trabalhar na terça-feira (7) e não havia retornado, sendo encontrado morto por volta de 14h do dia seguinte, quarta-feira, 8 de março.

A ocorrência narra que o perito da Polícia Civil constatou, no local do crime, dois tiros no corpo da vítima, sendo um em cada braço. Havia também uma lesão na cabeça, provocada por ação contundente.

A vítima havia se separado da ex-companheira recentemente. Ele não tinha filhos.

A Polícia Civil informou que o caso foi registrado como homicídio e segue sob investigação da Delegacia de Polícia de Boa Esperança. Até o momento nenhum suspeito foi detido.

Vítima feliz antes do crime

Familiares cederam um vídeo para a reportagem onde Edson aparece feliz, com uma garrafa de cerveja em uma das mãos, dançando, como quem amava a vida, veja:

Vídeo mostra seringueiro que foi assassinado, feliz em dia de confraternização com a família. Crédito: Acervo familiar

Sobre o caso