sábado, abril 20, 2024
spot_img
HomeDestaqueCidadeNova Venécia registra primeiro caso de “flurona” e diretor do Hospital São...

Nova Venécia registra primeiro caso de “flurona” e diretor do Hospital São Marcos orienta população

O município de Nova Venécia registrou, nesta semana, o primeiro caso de “flurona”, infecção simultânea do coronavírus e do vírus influenza, causador da gripe.

Publicidade

O caso é de uma mulher de 35 anos, que procurou o Hospital São Marcos apresentando coriza, dor de cabeça e febre baixa, e foi confirmado após testagem no Laboratório São Vicente, em anexo à unidade hospitalar.

Publicidade

“Não sabemos se tem mais na cidade, porque é uma questão de testar. Temos aqui no laboratório, o teste da Covid-19, da Influenza A e B, separados, e uma opção de fazer tudo junto e uma única coleta, como foi o caso dessa paciente”, disse Jussara Bastianello, sócia-proprietária do Laboratório São Vicente.

“São duas doenças de síndromes respiratórias. São muitas coisas novas, que estão ainda em estudo e precisamos voltar a nos cuidar, porque são doenças altamente transmissíveis”, falou Jussara.


Diretor técnico fala sobre tratamento, prevenção e vacina

Segundo o médico clínico geral e reumatologista, doutor Giovani Loureiro, diretor técnico do Hospital São Marcos, os sintomas da gripe Influenza costumam ser intensos logo no início da doença, com febre alta e dor no corpo, além dos sintomas gripais, como tosse e coriza. Já os sintomas da Covid-19 tendem a piora após uma semana de doença.

Tratamento
“O tratamento do Influenza (gripe) é diferente do tratamento para Covid-19, pois para a gripe já temos uma medicação com bons resultados, já bem estudada, que é o Oseltamivir (Tamiflu), que é mais eficaz quando utilizada nas primeiras 48 horas, mas, também, tem bons resultados após esse período e também pode ser utilizada como profilático (em casos de pacientes que tiveram contato com paciente com influenza). Porém, é uma medicação indicada somente para pacientes com fatores de risco, como gestantes, crianças menores de dois anos, adultos maiores de 60 anos com doenças associadas (por exemplo: asma, diabetes e doenças cardíacas), além de outros casos específicos. Essa medicação só pode ser prescrita por médico e já está em falta nas farmácias. No Hospital São Marcos, nós temos para os pacientes internados. Já a Covid-19, como ainda não temos nenhuma medicação específica disponível, fazemos um tratamento na fase inflamatória, que é a partir do oitavo dia, geralmente, com glicocorticoides, anticoagulantes e antibióticos quando necessário, além de fisioterapia nos pacientes internados”.

Prevenção
“Quanto aos cuidados, são basicamente os mesmos que temos com a Covid-19: uso de máscaras, evitar aglomerações e uso de álcool em gel”.

Vacina
“É importante lembrar, também, que a vacina que foi dada na última campanha vacinal de gripe não confere imunidade contra a cepa Darwin, da H3n2, que tem sido a principal causadora desse surto de gripe, mas protege contra as outras cepas de Influenza A e B, além de poder conferir uma imunidade cruzada contra a H3n2 Darwin, fazendo com que pessoas que adquiram essa doença possam apresentar sintomas mais brandos”.

» O médico clínico geral e reumatologista, doutor Giovani Loureiro, diretor técnico do Hospital São Marcos

Diretor do Hospital São Marcos alerta sobre o aumento de fluxo de atendimentos

O fluxo de atendimentos diários no Pronto Socorro do Hospital São Marcos aumentou 70% do dia 22 de dezembro até a última quinta-feira (06), disse o diretor da unidade, Alessandro Aguilera.

“Isso nos preocupa muito, visto que além de aumentar muito a chance de contaminação desses pacientes, os demais atendimentos de urgência e emergência, tais como: acidentes automobilísticos, infartos, acidentes vasculares cerebrais, para citar alguns, não param de chegar. Esses atendimentos demandam grande atenção de nossa equipe e também tempo. Estamos trabalhando, exaustivamente, 24 horas por dia, todos os dias da semana”, disse o diretor.

É por estes fatores que Alessandro orienta os pacientes com síndromes gripais leves a buscarem, inicialmente, os serviços básicos de saúde, evitando, assim, a superlotação na porta do hospital. “A orientação da nossa equipe médica é que os pacientes devem procurar o Pronto Socorro em caso de febre há mais de três dias, queda da saturação de oxigênio, piora de uma doença que já tenha, como a asma, e pessoas com doenças graves, como o câncer, além de crianças menores que três meses e idosos com doenças associadas”, falou.

» Fluxo de atendimentos diários no Pronto Socorro do Hospital São Marcos aumentou 70% do dia 22 de dezembro até a última quinta-feira (06)

“Infelizmente, a situação do aumento expressivo de casos de síndrome gripal tem ocorrido em diversos estados e municípios pelo Brasil. Os casos de Covid-19 voltaram a serem notificados por nós e os sintomas se confundem aos da gripe, como explicado pelo doutor Giovani, nosso diretor técnico. Temos que ter consciência de que voltamos a viver um momento delicado, onde, agora, além da Covid-19, temos um alto fluxo de pacientes contaminados com a H3N2, da família do Influenza A. Assim, voltamos a pedir a atenção de todos quanto aos cuidados necessários para evitarmos uma contaminação ainda maior. Junto à Secretaria Municipal de Saúde e da Prefeitura de Nova Venécia, temos buscado dar todo o suporte necessário para nossos munícipes venecianos e da região”, concluiu Alessandro.

» O diretor do HSM, Alessandro Aguilera
ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE