segunda-feira, abril 15, 2024
spot_img
HomeDestaquePolícia Civil de Nova Venécia prende agricultor que abusou sexualmente da filha...

Polícia Civil de Nova Venécia prende agricultor que abusou sexualmente da filha por 18 anos

A equipe da Delegacia Regional (DR) de Nova Venécia prendeu um agricultor de 46 anos, suspeito de abusar sexualmente da filha por aproximadamente 18 anos. A prisão ocorreu nessa terça-feira (29), na localidade de Córrego do Melado, na Zona Rural de Nova Venécia, depois que a vítima, atualmente com 28 anos, mandou mensagens pedindo socorro para o WhatsApp da Delegacia, criado recentemente.

Publicidade

“Criamos o WhatsSpp institucional com o objetivo de facilitar o contato com outras instituições, enviar intimações e atividades do tipo. Nessa terça, quando um dos policiais foi verificar o aplicativo, notou que havia mensagens de um número desconhecido, pedindo socorro. A vítima relatava que vivia em um lugar distante, e era frequentemente violentada pelo pai. Imediatamente, acionamos a equipe e fomos até o local”, relatou o titular da DR de Nova Venécia, delegado Douglas Sperandio.

Publicidade

A residência fica em um lugar extremamente ermo. Para chegar, os policiais percorreram aproximadamente 20 quilômetros em estradas de chão e, no local, encontraram o homem almoçando. Questionado, o agricultor confirmou que abusava sexualmente da filha.

A filha, por sua vez, informou que o último episódio tinha ocorrido naquela noite, e entregou uma peça de roupa com resquícios de material biológico. Vítima e suspeito foram conduzidos para a delegacia, e a roupa foi aprendida e encaminhada para a perícia.

“A vítima relatou que vivia com o pai e um irmão, menor de idade. A violência começou quando ela tinha 10 anos e ela era ameaçada de morte, caso contasse a alguém sobre os abusos. Como eles sempre moraram em lugares muito ermos, ela nunca conseguiu falar com um vizinho que fosse, e tinha medo de procurar ajuda e ser realmente morta pelo pai. No trajeto até a delegacia, a moça só chorava e agradecia, afirmando que foi salva pela polícia”, relatou o delegado.

Na delegacia, a jovem prosseguiu seu relato, informando que o pai, que nunca realizou o registro civil da filha, a impedia de estudar e ter amigos, mantendo-a em constante isolamento. A moça foi encaminhada para acompanhamento psicossocial no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) do município.

O homem foi autuado em flagrante pelos crimes de estupro de vulnerável, estupro e dano emocional à mulher, na modalidade continuada, na forma da Lei Maria da Penha. Ele foi encaminhado ao sistema prisional, onde permanece à disposição da justiça.

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE