sábado, fevereiro 24, 2024
spot_img
HomeDestaquePolícia faz buscas com cães e drones por adolescentes desaparecidos em Sooretama

Polícia faz buscas com cães e drones por adolescentes desaparecidos em Sooretama

Os desaparecidos são: Wellington Gomes Simão, de 14 anos, Carlos Henrique do Nascimento Trajano, de 15, e Kauã Loureiro Corrêa, de 15 anos.

A Polícia Civil mobilizou uma equipe que está fazendo buscas com o uso de cães farejadores e drones pelos três adolescentes desaparecidos desde sexta-feira (18), em Sooretama. Os desaparecidos são: Wellington Gomes Simão, de 14 anos, Carlos Henrique do Nascimento Trajano, de 15, e Kauã Loureiro Corrêa, de 15 anos. Todos, moradores do bairro Sayonara. Segundo familiares, os três estavam andando de bicicleta no bairro, após um tiroteio, quando sumiram.

Publicidade

A Rede Notícia apurou que a Polícia Civil mobilizou toda a equipe de inteligência da Delegacia Regional de Linhares, nesta segunda-feira (18), a fim de buscar o paradeiro dos meninos.

Publicidade

O irmão de Wellington, informou que ocorreram dois tiroteios no bairro Sayonara na sexta-feira (18). Ele falou com a mãe que iria ao local ver o que havia ocorrido. De bicicleta, Wellington e os outros dois amigos disse que iria com ele. No local, não havia mais movimento. O irmão de Wellington disse para ele que dali iria para a casa da namorada. Wellington teria dito que retornaria para casa com os outros dois amigos. No entanto, ninguém dos três adolescentes chegaram em casa.

Essas informações também constam no Boletim de Ocorrência registrado na 16ª Delegacia Regional de Linhares, sobre o qual a reportagem teve acesso.

Procurada pela Rede Notícia, a Polícia Civil informou que as “investigações e as diligências da Delegacia de Polícia (DP) de Sooretama estão em andamento, porém até o momento os adolescentes não foram localizados. Informações que possam auxiliar no trabalho de investigação de pessoas desaparecidas podem ser passadas de forma sigilosa por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas. Também é possível passar informações diretamente à equipe de investigação da delegacia ou indo pessoalmente à unidade”.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE