quarta-feira, fevereiro 21, 2024
spot_img
HomeBrasilPolícia investiga se policiais militares participaram de execução de homem em boate...

Polícia investiga se policiais militares participaram de execução de homem em boate no ES

Eduardo Chaves Camilo, de 32 anos, foi morto a tiros em um bar tradicional na Capital.

A Polícia Civil e a Polícia Militar investigam se dois soldados da PM participaram do assassinato de Eduardo Chaves Camilo, de 32 anos, executado a tiros na madrugada deste domingo (16), na casa de shows Gordinho Sambão, no bairro Mário Cypreste, em Vitória.

Publicidade

Em nota enviada ao portal ‘A Gazeta’, a Polícia Militar informou que a corregedoria da corporação está acompanhando as investigações junto à Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, a fim de verificar o que chamou de “autoria e possibilidade da participação de militar”.

Publicidade

Um soldado é suspeito de ter atirado contra a vítima durante a festa. Ele ficou cerca de 10 minutos no bar e saiu após o crime, acompanhado de outro homem, que também é suspeito de ser um policial militar.

A casa noturna estava lotada quando por volta de 1h30 começou uma confusão e os disparos ocorreram. Uma jovem de 20 anos foi atingida por um tiro na perna. Ela foi socorrida para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE). Não há informações sobre o estado de saúde dela. Ninguém foi preso.

Segundo o Boletim de Ocorrência, o atirador tinha a vítima como alvo. Câmeras de segurança situadas atrás dos banheiros químicos captaram o rosto do suspeito. Segundo o documento, as imagens de circuito interno denotam que o assassino ficou pouco tempo no local, e fugiu após o crime. testemunhas relataram terem ouvidos diversos disparos.

O bar conta com um livro de registro das armas de fogo dos agentes de segurança pública que entram no recinto, com informações sobre o portador, o número da arma e os horários de entrada e saída. Ainda segundo a ocorrência, um investigador da Polícia Civil relatou que foram recolhidos estojos de calibre 9mm, o que pode confirmar a participação de militares no crime.

Por nota, a direção do Gordinho Sambão e toda sua equipe informou que todos ficaram consternados, e que lamentam profundamente o ocorrido.

“A casa de shows reforça que o seu esquema de segurança segue com rigidez todas as normas estabelecidas, e garante que este foi um fato isolado”, diz a nota do estabelecimento, que concluiu dizendo que está à disposição das autoridades para prestar todo o auxílio na elucidação do caso “como vem fazendo desde o ocorrido”.

A Rede Notícia demandou posicionamento da Polícia Civil e Polícia Militar. Este texto será atualizado quando houver retorno.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE