segunda-feira, maio 27, 2024
spot_img
HomeEspírito SantoPrefeitura demite médica que deu alta a menino morto por pneumonia em...

Prefeitura demite médica que deu alta a menino morto por pneumonia em Pinheiros

Caso ocorreu no último final de semana. Miqueias Ferreira Caetano tinha apenas 11 anos.

A Prefeitura de Pinheiros informou nesta terça-feira (28) que dispensou a médica que estava no plantão do Hospital Municipal de Pinheiros na última sexta-feira (24), quando o menino Miqueias Ferreira Caetano, de 11 anos, chegou à unidade, foi atendido e liberado pela profissional para ir para casa. Na ocasião, a médica prescreveu remédios ao garoto, que apresentava um quadro de pneumonia.

Publicidade

No dia seguinte, sábado (25), a criança voltou ao hospital após o quadro de insuficiência respiratória se agravar por causa da doença. O garoto deu entrada no hospital às 14h30. Às 17h, o médico plantonista decide transferir o garoto para um Hospital de Colatina.

Publicidade

Uma Unidade de Suporte Avançado (USA) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), é acionada. Mas só chegou ao Hospital de Pinheiros duas horas depois, às 19h30. Essas são informações da família, corroboradas pelo próprio hospital.

O menino foi transferido para um Hospital em Colatina, onde faleceu após uma parada cardiorrespiratória, no início da madrugada de domingo (26).

Sobre o fato do menino ter ido ao Hospital Municipal de Pinheiros na sexta-feira (24) e ter sido liberado pela médica de plantão, a unidade informou à Rede Notícia nesta segunda-feira (27), que “no momento, ela (a médica) julgou não necessário internar, porque no momento da avaliação ele não apresentava sinais de agravamento”.

Posicionamentos

A Prefeitura de Pinheiros informou que após tomar conhecimento sobre a suposta negligência, “de imediato, a médica foi dispensada e não mais compõe o quadro clínico de Pinheiros. Ela era contratada via empresa terceirizada conveniada à prefeitura. A empresa foi comunicada sobre o ocorrido para as providências cabíveis”, disse em nota.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), informou, por nota, que “lamenta a morte da criança e informa que até a chegada da ambulância de suporte avançado ao hospital, a equipe médica que acompanhou a criança recebeu todas as orientações sobre a necessidade de estabilização do quadro de gravidade da criança para o transporte”.

Segundo a Sesa, “ao chegar ao hospital, a equipe do Samu192 realizou os procedimentos de estabilização para realizar a transferência ao hospital de referência, com a garantia da melhor assistência ao paciente”.

A Rede Notícia demandou posicionamento da Avante Social, Organização Social (OS), que administra o Samu em Pinheiros. Em resposta, a empresa informou que “estão sendo realizados todos levantamentos de dados pelos setores responsáveis. Após finalizarmos os trâmites o instituto encaminhará informações pertinentes a demanda”.

O Hospital Municipal de Pinheiros divulgou a seguinte nota (leia na íntegra):

“A equipe do Hospital Municipal de Pinheiros, vêm pela presente Nota, esclarecer acerca do óbito de um paciente ocorrido esta noite.

Inicialmente, desde já enfatizamos que não faltaram esforços de toda a equipe, equipamentos ou medicamentos para o atendimento. Vários profissionais foram mobilizados. Além dos médicos que estavam de plantão, foram convocados mais dois para o apoio emergencial. Enfermeiros e Técnicos se voltaram 100% para o amparo do atendimento, contando com a ajuda até do Diretor do Hospital que é Enfermeiro de formação e passou a atuar junto com a equipe.

O paciente deu entrada com quadro principal de Pneumonia e, de imediato, recebeu todos os cuidados que recomenda a medicina e se encontrava em estado geral regular, passando a ficar sob observação.

Em seguida, após as medidas iniciais foi feita a reavaliação do paciente e exame de radiologia(Raio-x), tendo sido constatado que não houve melhora do quadro e aparente dificuldade respiratória. Neste momento foi decidida pela remoção para uma UTI Pediátrica, ocasião em que o SAMU foi acionado, às 17h, para que enviasse uma ambulância do tipo Avançada, que era a necessária para o caso.

Infelizmente, o SAMU apenas chegou ao Hospital por volta as 19h30, tendo nesse intervalo de tempo a equipe médica tomado todos os procedimentos e, inclusive, a intubação do paciente para que seu quadro estabilizasse e não agravasse.

Foram momentos de tensão na equipe, onde os próprios médicos telefonavam insistentemente para o SAMU reforçando a necessidade e urgência do caso.

Posteriormente, a equipe avançada do SAMU concluiu a remoção do paciente para a UTI Pediátrica em Colatina, porém, vindo o paciente a óbito horas após a sua chegada.

Toda a equipe clínica e administrativa do Hospital Municipal de Pinheiros, consciente de que não mediram esforços e deram, cada um, o máximo de si, sente e se solidarializa profundamente com o desfecho do caso, ressaltando mais uma vez que fizeram de tudo possível que recomenda a medicina para cuidar da vida do paciente.

Apesar da sensação de abatimento da equipe, cansaço e tristeza por não ter conseguido fazer o que fomos treinados – salvar vidas – seguimos nossos plantões e estaremos sempre a postos para atender a população no que for preciso, com nossos atendimentos de mais de 100 pessoas por dia que passam no Hospital, mesmo sendo necessário “enfrentar um leão” por cada um desses plantões.

Lamentamos alguns ataques que temos sofrido, com alguns cidadãos e páginas má ou politicamente intencionadas inflamando a população contra o HP, externando opiniões sem conhecimento e embasamento no que realmente aconteceu (atos inverídidos ou caluniosos que também devem ser apurados pela Justiça até por quem compartilha). Lembrando também, que por trás de cada profissional aqui trabalhando, tem um ser humano, um pai, uma mãe, um filho e uma filha que também sofre quando não conseguimos um final feliz.

Por fim, quanto a aparente demora no atendimento do SAMU, por ser órgão de responsabilidade direta do Estado, iremos encaminhar um relatório ao Governo do ES para que apurem o ocorrido e responsabilizem quem for necessário, para que providências sejam tomadas e tal situação não mais se repita.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE