quarta-feira, fevereiro 28, 2024
spot_img
HomeBrasilRéu, vereador que bebeu antes de acidente com morte vai responder por...

Réu, vereador que bebeu antes de acidente com morte vai responder por homicídio doloso no ES

Danilo Henrique Ballarini (PSB) vai responder pela morte de Ruan Carlos, de 19 anos, e outras tentativas de homicídio.

O Ministério Público (MPES) editou a denúncia ofertada à Justiça contra vereador Danilo Henrique Ballarini (PSB), de São Domingos do Norte, no Norte do Espírito Santo, e alterou a classificação de homicídio culposo (quando não há intenção de matar), para homicídio doloso – quando existe intenção de matar. Danilo é réu acusado de dirigir embriagado e causar o acidente que matou o jovem Ruan Carlos de Azevedo Alves, de 19 anos, no dia 4 de setembro do ano passado, em São Domingos do Norte. Além disso, o político vai responder por duas tentativas de homicídio.

Publicidade

Ruan Carlos de Azevedo Alves tinha de 19 anos. Crédito: Acervo da família

A mudança de entendimento da denúncia oferecida pelo Ministério Público, baseada no inquérito da Polícia Civil, foi motivada pela assistência de acusação, promovida pelo advogado Fábio Marçal. Ele aponta que o vereador agiu em “desprezo pela vida humana”, o que se configura, no entendimento dele, como situação de homicídio doloso.

Publicidade
Assistente de acusação, advogado Fábio Marçal. Crédito: Acervo pessoal

“Desde o início entendemos que houve situação de homicídio doloso. Apresentamos, novamente, nossas manifestações e o Ministério Público entendeu exatamente, conforme a nossa tese, de que houve desprezo pela vida humana. Ao invés de ele socorrer a vítima, ele pediu ajuda às pessoas para tirar o corpo daquela vítima, agonizando debaixo do carro, tirar a moto e simplesmente para fugir. O vereador deixou ele ali sangrando. Tendo em vista que era a única chance que, de repente, aquela vítima tinha de sobrevivência, se ela fosse socorrida naquele momento, o MP também que ele agiu com dolo eventual, ele assumiu o risco do resultado, então ele deve responder por homicídio doloso e duas tentativas de homicídio”, explicou Marçal.

O vereador dirigia um carro de uma autoescola que pertence à família dele, quando atingiu duas motocicletas. Em uma estava um casal, que ficou ferido. Em outra, estava Ruan Carlos de Azevedo Alves, de 19 anos, que chegou a ser socorrido para o Pronto Atendimento de São Domingos do Norte, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Danilo chegou a ser preso pela Polícia Militar no dia do acidente, mas pagou R$ 1500 em fiança arbitrada pela delegada Jaciely Favoretti Souza, e foi solto para responder ao processo em liberdade. O vereador se negou a fazer o teste do bafômetro, mas o Exame de Constatação de Alteração de Capacidade Psicomotora feito pela PM, destaca que Danilo Ballarini estava sob influência de álcool e que teria confessado aos PMs ter ingerido cerveja na data da tragédia.

“Como que se encontra a tese de dolo eventual? Você analisa o antes, o durante e o depois dos fatos. Então, ele estava alcoolizado, ele se envolveu no acidente, ele causou um acidente e, por fim, não se importa para as consequências daqueles atos. E isso é o dolo eventual. Isso é o desprezo. Ele assume o risco de o que fez. Foi assim que o Ministério Público entendeu depois da audiência. Nós já estávamos pedindo isso desde o primeiro momento”, complementou o advogado Fábio Marçal.

A investigação do caso foi auxiliada pelo uso de imagens de câmeras de videomonitoramento, divulgadas pela imprensa, que flagraram o momento exato do acidente. Veja:

Vídeo flagra acidente em que vereador é acusado de provocar. Crédito: Polícia Civil

A reportagem demandou posicionamento do vereador, e tenta contato com a defesa dele.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE