segunda-feira, junho 24, 2024
spot_img
HomeDestaqueSetembro Amarelo contra o suicídio

Setembro Amarelo contra o suicídio

A manhã desta terça-feira (04), foi marcada por um grande movimento de combate ao suicídio pelas ruas de Nova Venécia. A Rede Notícia, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e o Hospital São Marcos, realizou uma caminhada de mobilização para a prevenção ao atentado contra a própria vida. A ação também contou com o envolvimento das secretarias de Educação, Ação Social, Cultura e Turismo.

Publicidade

A concentração foi na Praça Adélio Lubiana, às 8h, com uma belíssima apresentação feita pelo Coral do Centro de Convivência do Idoso. De lá, os participantes seguiram pela ponte Cristiano Dias Lopes e ruas do Centro de Nova Venécia. O movimento contou, também, com a participação de alunos de escolas do município e da Multivix.
Faixas, cartazes, balões e laços amarelos foram carregados com a proposta de levar a comunidade a refletir sobre o assunto. Também foi feita panfletagem com materiais informativos e orientações sobre como lidar com uma pessoa que está com quadro depressivo, no intuito de evitar que tire a própria vida.

Publicidade

O diretor administrativo da Rede Notícia, Daniel Ferrari, falou sobre a importância do movimento. “Foi uma grande ação em combate ao suicídio e a depressão, que atinge muita gente e é muito difícil ser identificada. Fomos para as ruas, fizemos a divulgação pelo jornal, pelo portal, pela TV e pela Rádio Notícia para conscientizar a população. Às vezes, seu irmão, seu pai, algum familiar ou algum amigo, tem esse problema e você não consegue identificar”.

O secretário de Saúde de Nova Venécia, André Fagundes, também ressaltou a importância da caminhada. “Foi um dia muito especial. Pegamos um público desde juvenil, até idoso, para tratar de um assunto que devemos ter muita relevância, que é a valorização à vida. Esse mês é voltado para chamar a atenção da população para se conscientizar, buscar uma ajuda, ter um feeling de algum parente que tenha algum problema psicológico ou que esteja em depressão. Precisamos estar olhando para os nossos colegas e parceiros e tentar, precocemente, detectar qualquer alteração de humor e tentar buscar uma ajuda para essas pessoas”.

Já o diretor do Hospital São Marcos, Alessandro Aguilera, ressaltou a importância de quem está perto de alguém com algum sinal de que possa cometer suicídio, que ouça aquela pessoa e procure a assistência necessária. “Nós temos esse papel na sociedade. Atendemos mais de cinco mil pessoas por mês de toda região. Temos participado de diversas campanhas ao longo dos últimos anos, voltadas à prevenção e essa é uma causa extremamente nobre, que acomete mais de 800 mil pessoas no mundo, sendo a segunda maior causa de morte entre os jovens no Brasil, perdendo só para a violência. É algo que chama a atenção. No final do ano passado, o governo federal assumiu um compromisso com a OMS de quebrar a curva, porque, infelizmente, de 2000 a 2016, esses casos, no Brasil, cresceram de 75%, aproximadamente. Então, eles assumiram esse compromisso de criar políticas voltadas para esse fim e em setembro de 2017, deram start no número 188, que é de prevenção à vida, com atendimentos de pessoas especializadas. O que nós pedimos é que valorizamos isso. Qualquer pessoa que tenha qualquer indício de suicídio ou que comece com assuntos voltados para isso, que a pessoa que tiver próxima, pare e escute. Hoje, nós temos uma estrutura no município que é muito importante, que é o Caps. Já foi comprovado que municípios que têm unidades de Caps, tem até 14% menos suicídios do que outros que não tem, só que, infelizmente, dos mais de seis mil municípios brasileiros, somente pouco mais de dois mil tem Caps. Somos privilegiados, porque além do Caps, temos os leitos de saúde mental do Hospital, que são os psicossociais, com psiquiatras e psicólogos. Precisamos utilizar dessa estrutura, só que nem sempre conseguimos chegar a esse paciente. Então, chamamos a atenção para que qualquer sinal, que a pessoa que estiver próxima, dê atenção. Ouça, porque o caminho é esse e, se possível, buscar uma unidade de saúde especializada”.

O prefeito de Nova Venécia, Lubiana Barrigueira, participou da mobilização. “Nosso objetivo é alertar a comunidade para a importância da valorização da vida, pois o suicídio é um problema de saúde pública que deve ser combatido. As pessoas precisam estar informadas e atentas aos sinais que são dados por aqueles com tendências suicidas”.

O secretário de Planejamento de Nova Venécia, Edson Marquiori, falou sobre a parceria do município em grandes eventos de conscientização, como este. “Também estamos de frente com mais essa marcha. São importantes essas campanhas. Eu tenho lido e acompanhado algumas entrevistas sobre o porquê de tanto suicídio e vi que existe muita coisa que pode ser evitada, em uma parceria da sociedade com os poderes executivo e legislativo. Uma das principais necessidades é a conscientização. As pessoas precisam saber que isso está acontecendo em um meio oculto e que acaba não ficando clara para a população. Então, precisamos que as pessoas passam a conhecer os sintomas disso e alertem suas famílias, para combatermos esse grande mal que assola a sociedade brasileira”.

Após percorrer a cidade, o movimento retornou para a Praça Adélio Lubiana, onde foi encerrado.

Veja alguns momentos que marcaram a ação:

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE