sábado, fevereiro 24, 2024
spot_img
HomeCrime BrutalSuspeito de matar o tio a pauladas em Nova Venécia vai a...

Suspeito de matar o tio a pauladas em Nova Venécia vai a delegacia, mas é liberado

Após matar o parente com requintes de crueldade, João Guilherme Godoi Geraldo fugiu da cena do crime. Corpo de Gilvan Geraldo foi sepultado na tarde de quinta-feira (1º).

Cerca 36 horas depois, o suspeito de matar o próprio tio com pauladas na cabeça, na noite de última quarta-feira (31), após uma discussão por herança, no quintal de uma casa na Rua Sergipe, no bairro Margareth, em Nova Venécia, compareceu na manhã desta sexta-feira (2) à Delegacia Regional do município do Noroeste do Espírito Santo. João Guilherme Godoi Geraldo, que fugiu após o crime, foi ouvido e liberado. O corpo de Gilvan Geraldo, foi sepultado na tarde de quinta-feira (1º).

Publicidade

Procurada pela Rede Notícia, a Polícia Civil informou que “o autor compareceu voluntariamente à Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Nova Venécia, na manhã desta sexta-feira (02), e apresentou sua versão dos fatos.” A Polícia Civil alega que a legislação brasileira estabelece que a prisão de suspeitos deve ocorrer em situações de flagrante delito ou mediante mandado de prisão. “No caso em questão, nenhuma dessas situações se configurou. Portanto, o homem prestou depoimento e foi liberado para responder em liberdade, neste primeiro momento”, informou a corporação. A Polícia Civil não deu detalhes da versão apresentada pelo suspeito, e não informou se já solicitou à Justiça o mandado de prisão do assassino.

Publicidade

A reportagem tenta contato com a defesa do suspeito.

Crime brutal

Um homem identificado como Gilvan Geraldo, foi assassinado a pauladas na noite da última quarta-feira (31), no quintal de uma casa na Rua Sergipe, no bairro Margareth, em Nova Venécia, no Norte do Espírito Santo. Segundo a Polícia Militar, o suspeito é o próprio sobrinho da vítima, identificado como João Guilherme Godoi Geraldo, que fugiu após o crime. O motivo seria uma antiga disputa por herança entre a família. As idades da vítima e do suspeito não foram divulgadas.

De acordo com a PM, uma equipe foi deslocada para o endereço a fim de averiguar uma ocorrência de homicídio. No local, os policiais encontraram Gilvan Geraldo caído no quintal e uma equipe do Corpo de Bombeiros constatou que a vítima estava em óbito. A companheira do suspeito contou aos policiais que a vítima chegou chamando seu marido que, segundo ela, já estava deitado se preparando para dormir. A versão da esposa do suspeito diz que a vítima teria tentando entrar na casa, quando ela o filho se depararam com Gilvan Geraldo na porta da sala da casa. A mulher afirmou que a vítima disse que a família teria 24 horas para sair da casa, pois a chácara onde fica as casas da vítima e do suspeito é herança da família. A mulher relatou que a chácara era motivo de brigas e desavenças antigas, que começaram antes da mãe do suspeito morrer, deixando mágoa e ressentimentos. Disse ainda que em outros momentos a própria polícia foi chamada por causa da disputa.

Segundo a Polícia Militar, a versão da mulher do suspeito aponta que quando a vítima ia entrar na casa, o marido dela, que é sobrinho da vítima, se levantou e os dois começaram uma discussão, que evoluiu para empurrões. João Guilherme teria empurrado o tio que veio a cair, momento em que o suspeito se apossou de um pedaço de madeira e desferiu diversos golpes na cabeça da vítima, que morreu no local. Após o crime, o suspeito fugiu.

O Boletim de Ocorrência ao qual a Rede Notícia teve acesso, detalhou que a perícia da Polícia Científica verificou que o corpo da vítima apresentava lesão na cabeça e no pescoço.

Sobre o caso

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE