segunda-feira, abril 15, 2024
spot_img
HomeDestaqueVeneciano arrecada mantimentos na Inglaterra e pretende ir à Ucrânia

Veneciano arrecada mantimentos na Inglaterra e pretende ir à Ucrânia

Foram cerca de duas toneladas de alimentos arrecadados e muita solidariedade para ajudar a quem vive a guerra no País Oriental

Publicidade


Morando em Slough, cidade que fica há cerca de 10 quilômetros do centro de Londres, o veneciano, Juarez da Silva Júnior, mais conhecido como Júnior Garcia, 32 anos, juntou-se a um grupo de amigos, para arrecadar doações e entregar na Ucrânia. Os amigos brasileiros já partiram para a missão, entregaram os mantimentos e agora, é a vez do veneciano cogitar a possibilidade de ir ao País da Europa Oriental. “Foi tudo muito rápido, nos unimos e fizemos as arrecadações, não deu muito tempo para eu me organizar e ir. Fiquei muito sensibilizado. Iremos fazer novas arrecadações, dessa vez, quero ir para a Ucrânia. Agradeço a Deus por essa oportunidade de ter saúde, disposição e amigos como o que temos. Tivemos ajuda de brasileiros que moram aqui, que moram aí no Brasil e de ingleses também”, diz.

Publicidade

Os amigos do Júnior Garcia, Roney Lopes, de Goiás, e Hallan Escarabelli, de Minas Gerais, foram os responsáveis por levar os donativos para a Ucrânia. Segundo Júnior, de início, a ideia da dupla era de ir somente até Varsóvia, capital da Polônia. “Ao chegar lá, eles se sensibilizaram ainda mais e, decidiram seguir viagem para a Ucrânia, arriscaram a própria vida, em prol de quem eles nem conheciam, isso foi emocionante e eu também almejo fazer o mesmo”, fala.

Ao todo, uma vaquinha arrecadou em quatro dias, cerca de R$ 20 mil. Em uma Van, que chegou a Ucrânia com a bandeira do Brasil na frente, estavam os mantimentos, fraldas, água, roupas e brinquedos para as crianças. Foram arrecadadas e compradas cerca de duas toneladas de alimentos. “Um pouco eles levaram daqui e o restante, compraram em Varsóvia. Eles passaram um dia na Ucrânia, onde durante a madrugada estava – 5°C graus, passaram muito frio e o cenário de guerra, com a presença de soldados portando fuzil e outras armas, e ainda a apreensão, do que poderia acontecer”, fala. “Eles chegaram a ir a uma cidade que fica a 15 quilômetros da Bielorrússia, País que está apoiando a Rússia, com muitas bombas saindo de lá, para atingir a Ucrânia, mas a solidariedade falou mais alto que o medo”.

Brasileiros no corredor humanitário

A dupla de brasileiros chegou à Ucrânia e estacionou o veículo que estavam em um posto de combustível. Ali perto, de acordo com Júnior, um corredor humanitário enorme, um dos locais que moradores ucranianos fugiam do País. “Foi então que eles começaram a distribuir as doações. Daqui, acompanhamos tudo, através do celular, de vídeos, ligações, vídeo-chamadas. Posso falar que foi emocionante e uma experiência que irei levar para o resto da vida”, descreve.

Júnior conta que os amigos foram alertados por soldados ucranianos de que, a qualquer momento, poderia acontecer algo pior onde eles estavam, mas que mesmo assim, Hallan e Roney permaneceram no local fazendo as doações, e ainda, foram mais longe. “Eles conheceram uma ucraniana, e escoltados pelos soldados, e junto com ela que sabia de um local que precisava de ajuda, foram a uma escola, que estava servindo e abrigo, para fazer mais doações. Tanto a polícia, quanto quem os conheceu ali, foram solícitos com eles, acho que a bandeira do Brasil faz a diferença em uma hora dessas”, fala.

Depois de cumprir a missão, a dupla brasileira foi embora da Ucrânia, e no momento da reportagem, já estava em Varsóvia.

Como tudo iniciou

De acordo com o Júnior, tudo começou quando os amigos mostraram a vontade de ajudar os ucranianos. Ao apresentar a ação para o veneciano, ele não pensou duas vezes. “Me engajei na causa junto com eles. Começamos a fazer as movimentações para arrecadação. Conheço muita gente e isso ajudou. Com tudo organizado, foi a vez dos dois irem levar os mantimentos e enfrentar o perigo”, fala.

A partir daí, quem ficou na Inglaterra dando suporte para Hallan e Roney, foi o Júnior e outro amigo, o Edy Harger’s, de Joinville (SC). “Daqui pudemos monitorar o que deu. Através de localizações do celular e dos retornos deles, fomos fazendo uma espécie de ponto de apoio aqui, e deu certo. Vamos conversar agora, e levar ajuda de novo, só com um detalhe, dessa vez, quero ir”, explica.

Júnior Garcia é cria do bairro Ascensão

Morando há 12 anos fora do Brasil, Júnior Garcia é locutor do programa ‘Arrasta pra Cima’, na rádio Mais Brazil, localizada em Londres.

Criado no bairro Ascensão, em Nova Venécia, Júnior também é motoboy e estudante na University of Bedfordshire, onde cursa a faculdade de Gestão de Negócios.

Júnior é filho de Juarez da Silva e Maria Cavallini Garcia, irmão da Poliana, do Vinícius e da Carolyna. Sobre a ida do veneciano ao País Oriental em guerra, A Notícia deseja toda proteção ao Júnior Garcia nessa viagem de solidariedade. Vá, cumpra sua missão e volte bem, Júnior!

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE