terça-feira, maio 21, 2024
spot_img
HomeDestaqueVigilância Epidemiológica inicia atendimento a casos de Esporotricose em felinos

Vigilância Epidemiológica inicia atendimento a casos de Esporotricose em felinos

A Secretaria de Saúde de Nova Venécia, através da Vigilância Epidemiológica, iniciou, nesta segunda-feira (08), o atendimento a casos felinos de esporotricose.

Publicidade

A esporotricose é uma zoonose causada pelos fungos do complexo Sporothrix schenckii, podendo acometer humanos e felinos, principalmente, causando feridas na pele. Era conhecida, popularmente, como “doença do jardineiro”, devido ao fato do fungo ser proveniente do solo. A pessoa pode se infectar ao ter contato com terra ou espinhos contaminados.

Publicidade

De alguns anos para cá, os gatos passaram a ter importante papel na disseminação da doença, uma vez que, por terem contato com o solo ao enterrar seus dejetos, acabam albergando o fungo em suas garras, podendo transmitir a outros gatos através de brigas ou, até mesmo, para o ser humano através de arranhadura ou do contato com as feridas causadas pelo Sporothrix.

A médica veterinária do setor de Vigilância Epidemiológica, Maria Guadalupe Dias, informou que Secretaria de Saúde agora oferece atendimento, diagnóstico e tratamento para os felinos acometidos com a doença. “É muito importante frisar que a Esporotricose tem tratamento e que agora será fornecido aos humanos e felinos pela Secretaria de Saúde, após o correto diagnóstico da doença e acompanhamento do paciente. Não devemos abandonar ou, até mesmo, sacrificar um animal que tem possibilidade de cura, mesmo porque isso não resolveria o problema. Um animal com Esporotricose abandonado ou enterrado de qualquer forma continua disseminando o fungo pelo ambiente“, disse.

O atendimento humano ocorre, normalmente, através das Unidades de Saúde da Família, a qual o paciente faz parte. Os atendimentos aos felinos com suspeita da doença serão realizados mediante agendamento prévio através do telefone 3772-6873, nas segundas, terças, quintas e sextas-feiras, das 09h às 13h, com a médica veterinária Maria Guadalupe. “O paciente felino com suspeita de Esporotricose será atendido e acompanhado pela equipe responsável pelas zoonoses até sua cura. Nosso objetivo é prevenir a disseminação da doença para os seres humanos e para outros animais.”, completa.

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE