quinta-feira, maio 23, 2024
spot_img
HomeDestaqueEscultura de Leão de São Marcos completa 100 anos

Escultura de Leão de São Marcos completa 100 anos

Chegada da escultura italiana em Nova Venécia aconteceu no dia 25 de abril de 1924, e fez com que os imigrantes italianos aqui, pensassem que o governo de seu país, tivesse lembrado deles e havia enviado o Leão, como forma de presenteá-los, o que não precedeu. A imagem chegou em terras venecianas, como muitos sabem, por engano. O equívoco ajudou a compor a história do município, que hoje, traz a devoção ao evangelista, São Marcos

A chegada do Leão de São Marcos em Nova Venécia aconteceu no dia 25 de abril de 1924, completando, então, 100 anos em que a escultura de bronze, permanece no município.
A sua chegada contou com uma honrosa comemoração, sendo essa a primeira vez que a celebrar aquele que seria o futuro padroeiro.

Publicidade

A definição de São Marcos como padroeiro da cidade, aconteceu bem antes do local ser município, antes da instalação da imagem do Santo na igreja. O que denominou São Marcos como padroeiro de Nova Venécia foi a chegada do Leão de bronze, enviado da Itália. A imagem foi presente do Governo Italiano fascista de Mussolini, dado à colônia de Nova Veneza, em Santa Catarina, no Sul do Brasil, local que iniciou a colonização italiana por volta de 1891.

Publicidade

O fato que mudou toda a história de Nova Venécia aconteceu com a chegada do Leão de São Marcos, ao Porto de Vitória, trazido de navio, e por engano. De acordo com os historiadores, Izabel Maria da Penha Piva e Rogério Piva, dentro de uma caixa de madeira forrada com veludo vermelho vinha o presente para os colonos há muito emigrados. E o navio vinha margeando o litoral brasileiro e parando nos portos do norte-nordeste até que chegou ao porto de Vitória e houve a confusão. “Conta-se que, dentre outros, encontrava-se na capital, o senhor Eleosippo Rodrigues da Cunha, fazendeiro de grande poder político na região e, à época, vereador na Câmara de São Mateus e que, quando este viu o leão e a informação do seu destino, provavelmente “Nuova Venezia – America del Sud”, ou seja, Nova Veneza – América do Sul, teria afirmado que esta ficava no Espírito Santo a oeste de São Mateus”, contam os historiadores, se referindo a Nova Venécia. “Nesta época estava em construção a hoje extinta “Estrada de Ferro São Matheus”, que já havia levado trilhos até um pouco além da localidade do Km 41, atualmente conhecida como Nestor Gomes, e foi por esta ferrovia que o leão alado chegou. Como a ferrovia ainda não estava concluída, um grupo de homens foi solicitado com uma junta de bois puxando uma zorra (estrutura de madeira) para buscar a escultura no fim dos trilhos e trazê-la para a vila nascente”, explica Izabel e Rogério.

De acordo com os historiadores, a festa para achegada da escultura foi realizada em um terreiro de café localizado onde atualmente se encontra um posto de combustível, na Avenida Vitória, em frente aonde hoje está instalada a Câmara Municipal e a Delegacia de Polícia. “Os antigos diziam que foi uma grande festa, com missa e fogos de artifício. Os pobres imigrantes por um momento acreditaram que o governo italiano havia se lembrado deles. Diziam que “finalmente a Itália se lembrou de nós!!!”, mas tudo não passou de um grande mal-entendido”, relatam.

Quando os colonos de Santa Catarina souberam que sua encomenda havia sido extraviada, pensaram em vir buscá-la à força. Devido à distância desistiram e solicitaram uma outra que, desta vez chegando sem erro ao seu destino, até hoje se encontra fixada à fachada da matriz de São Marcos de Nova Veneza, naquele estado, sendo idêntica a nossa.

Como ainda não existia a Matriz São Marcos, após os festejos, a escultura foi levada para casa do senhor Tito Rodrigues da Cunha. “Sua esposa, dona Celeste Neves era bastante piedosa e, fez com que se rezasse o terço quase todos os dias em que a escultura ali permaneceu. Esta casa ficava aonde hoje é a rua Eurico Salles. De lá, levaram o leão alado, capela de Santo Antônio no Córrego da Serra, fundada a capelinha em 1898, a única que era próxima da povoação. Isso porque as outras eram bem mais distantes, como por exemplo, as capelas de Nossa Senhora Auxiliadora do Rio Preto (fundada em 1892), Nossa Senhora dos Anjos do Córrego da Boa Esperança (fundada em 1910), São Roque do Pip-Nuk (fundada em 1908) e a de São Sebastião do Pip-Nuk (fundada em 1917).

Em 1932, a escultura foi transferida para a capela Nosso Senhor do Bonfim, que foi construída onde hoje está a Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Rodrigues Leite. O pequeno templo foi idealizado por um pernambucano chamado Guilherme Pereira Lima, que por devoção, após ter se perdido em uma mata, construiu a primeira capela dentro dos limites do que viria a ser a área urbana da vila de Nova Venécia, com o auxílio financeiro do cearense Sabino Lima. Só na época da primeira construção da primeira capelinha da Matriz São Marcos, é que a obra italiana ocupou lugar por lá, após 1938.


Núcleo Colonial de Nova Venécia

Em 1892, aconteceu a fundação do Núcleo Colonial de Nova Venécia e o recebimento de colonos imigrantes italianos que estavam se estabelecendo, desde o final de 1888, na região, então chamada de “Serra dos Aimorés”, sertão do município de São Mateus. O responsável pela criação do Núcleo Colonial foi o engenheiro, Antônio dos Santos Neves, que estabeleceu a planta e o local da sede, onde, posteriormente, surgiu a povoação, que depois virou vila e hoje, cidade de Nova Venécia.

Segundo os descendentes de Antônio dos Santos Neves e, o que regia a legislação da época, ele teria sido o responsável por batizar o “núcleo colonial”, com o nome de Nova Venécia, tendo em vista que, os colonos que para cá vieram eram, em sua maioria, oriundos da região do Vêneto (Venécia em português), norte da Itália, que a capital, é a cidade de Veneza (“Venezia” no italiano). “Portanto, temos aí o fato crucial que levaria, anos mais tarde, à escolha de São Marcos como padroeiro”, explica Izabel e Rogério.

Desde o tempo das Cruzadas, há mais de mil anos, em plena Idade Média, quando os restos mortais do evangelista São João Marcos foram levados de Alexandria, no Egito, para a cidade de Veneza, na Itália, lá existe sua famosa basílica com características bizantinas.

“A própria república que ali se formou, tomou como símbolo o leão que representa seu Evangelho e que, em Veneza, ganhou asas devido a uma antiga lenda local. A lenda afirma que quando João Marcos, discípulo do apóstolo Simão Pedro, ainda era vivo e, pregava a boa nova no norte da Itália, onde mais tarde surgiu a cidade de Veneza, ele teria sido saudado por um anjo que profetizou que ele escreveria o primeiro evangelho. Assim o leão que o representa ganhou asas, que lembram a aparição do anjo, para aquele que falou da “voz que clama no deserto” como o rugido do “Leão da tribo de Judá”, narram os historiadores.

Já a instalação da Paróquia São Marcos, aconteceu no dia 7 de março de 1954, completando 70 anos. O primeiro padre Comboniano Angelo Dell’Oro, também foi o primeiro pároco da Paróquia. Ele tomou posse no mesmo dia da instalação da Paróquia, tendo o padre José Dalvit, como auxiliar.


Leão de São Marcos também já foi nome de clube de futebol e eleito o nome mais bonito do Brasil

Além de São Marcos representar a religiosidade da cidade, o santo também deu nome ao extinto Leão de São Marcos Esporte Clube. A denominação do time foi sugerida por um sacerdote.

O extinto Leão de São Marcos, fundado em 1955, é um dos clubes mais tradicionais da cidade de Nova Venécia, tendo disputado alguns campeonatos capixabas profissionais. Em 1977, recebeu o título de Clube com o nome mais bonito do Brasil, eleição realizada pela Revista Placar.

*Agradecimentos aos historiadores Izabel Maria da Penha Piva e Rogério Piva


Programação da Festa de São Marcos

Dia 21
7h30 – Santa Missa da Dedicação da Igreja, presidida por Dom Paulo Bosi Dal’Bó.
Após a Missa, café compartilhado (cada um traga algo para colocar em comum)
*À noite, não haverá Missa na Matriz

Dia 22
19h – Santa Missa presidida pelo padre Celso Novais, com a participação da Paróquia São Pedro – Vila Pavão.
(Após a Missa, haverá barracas com comidas típicas e roleta)

Dia 23
19h – Santa Missa presidida pelo padre Jaymir Bada, com a participação da Paróquia Santa Rita de Cássia.
(Após a Missa, haverá barracas com comidas típicas e roleta)

Dia 24
19h – Santa Missa presidida pelo padre Gilday Soares dos Santos, com a participação da Paróquia Santa Luzia.
(Após a Missa, haverá barracas com comidas típicas e roleta)

Dia 25
6h – Santa Missa presidida pelo padre Wellington Cristiano da Silva, com a participação do Apostolado da Oração. Após a Missa, haverá carreata com a imagem peregrina de São Marcos.
*Queremos fazer uma bonita carreata e contamos com a sua participação
10h – Santa Missa presidida pelo padre Enizael de Souza Soares Oliveira, em memória dos falecidos que fizeram parte da história paroquial.
*Levar os nomes dos falecidos que fizeram parte da Matriz a partir de 1954.
17h – Procissão saindo próximo à Escola Maria Rodrigues Leite, onde foi a primeira Igreja, com a presença de todas as comunidades com as imagens de seus padroeiros.
*Todos os movimentos e pastorais, levarem seus baners.
Logo em seguida, Santa Missa Solene na Matriz São Marcos, presidida por Dom Paulo Bosi Dal’Bó e concelebrada pelos padres.
(Após a Missa, haverá um bolo para todos e sorteios de prêmios).

ARTIGOS RELACIONADOS
Anuncie Aqui!
Publicidade

EM DESTAQUE